Durante as festas, as redes sociais enchem-se de decorações natalícias, presentes, ugly sweaters, gatos a redecorar árvores de Natal, cães de bandolete de renas (o meu Samba ficou amoroso!) e comida, muita comida! Salgada, doce, farta e super apetitosa, ao ponto de dar vontade de entrar pelo ecrã do telemóvel. E como não resisto, faço o que a tecnologia permite: guardo mil e uma receitas, na expetativa de conseguir experimentar todas as iguarias.

Mal a quadra festiva termina, o scroll no Instagram torna-se bem mais aborrecido. Bloggers partilham as suas corridas matinais em jejum, influencers publicam programas detox para limpar o organismo dos excessos cometidos, começam os desafios “21 dias sem açúcar”, “1 mês sem glúten”.

As cores e os sabores natalícios dão lugar aos sumos verdes, às sopas sem batata e aos chás milagrosos. Valha-nos a fruta! Essa, pelo menos, parece ser poupada. Exceto a banana, muito calórica. E as uvas, ui as uvas… Ah, e os figos e a manga, toda a gente sabe que engordam.

Paira no ar o dever de compensar os excessos do Natal e do Ano Novo.

Recuperação após os excessos da quadra natalícia

Após as festividades, Detox torna-se a palavra de ordem muitas pessoas. Mas, já consultaram o significado da palavra desintoxicação? Vou só deixar aqui o resultado da infopédia.pt:

  1. ato ou efeito de desintoxicar(-se); eliminação ou cessação do efeitos tóxicos de (algo);
  2. MEDICINA: transformação e eliminação de toxinas ou venenos presentes no organismo;
  3. processo de desabituação do organismo de certa substância (álcool, droga, etc.) da qual está dependente.

Será que o bacalhau da mãe é tóxico? Ou será que as rabanadas da avó vão envenenar o nosso organismo? Não, longe disso! Vão nutri-lo com um ingrediente extra, amor. Admito, é lamechas, mas é a realidade.

Exageros fazem parte desta altura do ano, mas não têm um impacto catastrófico no nosso corpo, nem precisam de soluções rápidas e miraculosas. Exageros combatem-se com equilíbrio e consistência.

Equilíbrio e rotina para retomar bons hábitos pós festividades

Para recuperar dos excessos do Natal e Ano Novo, é fundamental regressar à rotina saudável, ou seja, às refeições habituais, variadas, completas, às horas do costume e nas proporções adequadas, aos treinos da semana, à garrafa de água na mesa do escritório, às caminhadas de fim de semana e mesmo ao quadradinho de chocolate com café depois de almoço.

Se esta for a sua rotina na maioria dos 365 dias do ano, a fatia extra de bolo rei que comeu no Ano Novo ou mesmo a caixa de chocolates que desapareceu em menos de 3 dias não têm nada que ficar a pesar na consciência.

Sou apologista do bom senso. Adoro comer! Doces, salgados, sou um bom garfo e não resisto a uma mesa cheia. Aliás, é das coisas que mais me dá prazer. Não há nada melhor do que passar uma tarde sentada à mesa, a saborear, na cavaqueira, na galhofa, a criar memórias. Mas também eu já tentei compensar por todas as vezes em que comi demais. Não só no Natal ou no Ano Novo, mas naquele almoço de aniversário e nos jantares prolongados de verão.

Nunca fui de beber sumos detox porque não gosto muito de batidos. E só sopa durante três dias também não era para mim. Então, apostava no exercício físico como se tivesse pilhas Duracell, porque é algo que gosto de fazer.

Mas felizmente, aos poucos, consegui desprender-me desta ideia de compensar e comecei a ficar em paz comigo mesma quando vou ao cinema e como um balde de pipocas sozinha. Não é saudável, mas não vai encher o meu corpo de toxinas. É provável que acorde mais inchada no dia seguinte, mas nada que a minha dieta habitual e muita água não resolvam.

Sintomas comuns após excessos alimentares

Quando existe uma altura onde fazemos excessos alimentares, os “sintomas” mais comuns são:

  • Sentirmo-nos inchado/as e enfartado/as;
  • Sentirmo-nos um pouco mais “cansado/as” e lento/as (associado a uma grande ingestão de hidratos de carbono);
  • Diminuição da frequência em idas à casa de banho (pela alteração do padrão alimentar).

Mas esses “sintomas” podem ser minimizados. O nosso organismo faz natural e continuamente um processo de “detox”. Este é feito pelos rins, pulmões, pele, sistema gastrointestinal e fígado (sobretudo este).

Todos estes órgãos têm um papel na eliminação de substâncias indesejáveis, tornando-as solúveis em água de modo a poderem ser eliminadas na urina, fezes e bílis. Por isso, tudo o que precisamos de fazer depois dos excessos natalícios é dar uma ajuda extra ao nosso organismo. Como? Aplicando as seguintes dicas básicas e muito fáceis de encaixar no dia a dia.

Dicas fáceis para recuperar dos excessos das festas

  • Beber mais água;
  • Voltar ao padrão alimentar que tínhamos (partindo do princípio que é o adequado);
  • Consumir fruta e hortícolas para o bom funcionamento intestinal;
  • Diminuir o consumo de alimentos processados, especialmente os fritos, e comer menos açúcares;
  • Cozinhar com mais especiarias e ervas aromáticas e menos sal;
  • Fazer exercício físico regularmente;
  • Beber sumos e batidos ricos em fruta e legumes caso não tenha o hábito de ingerir estes alimentos sem ser desta forma;
  • Dormir 8 horas por noite (idealmente).

Colocar estas dicas em prática todos os dias é essencial porque o tão desejado processo de detox ocorre 24 horas por dia e 7 dias por semana. Surpreendido? Além disso, estas regras são também muito válidas para quem procurar gerir o peso.

Perder peso, seja “após festas” ou em qualquer altura do ano, deve ser feito com base nestas dicas básicas, adaptadas às preferências e estilo de vida de cada um.

Por isso, deixe de lado os produtos que prometem aumentar o metabolismo e queimar gordura, deixe de lado os radicalismos de dietas zero hidratos e ponha mãos à obra naquilo que provavelmente não fez até agora: empenho na atividade física regular e numa alimentação consistente, pouco processada, variada e com as quantidades adequadas.

Lembre-se que 2021 começou agora mesmo e que está muito a tempo de trabalhar para alcançar os seus objetivos. Um chavão muito utilizado pelos nutricionistas nesta altura do ano é de que “o que engorda não é o que se come no Natal à Passagem de Ano, mas sim da Passagem de Ano até ao Natal”.

Isto quer dizer que janeiro é um mês para regressar às rotinas, ao padrão alimentar habitual, e perceber que a solução não passa por estar uma semana a seguir uma dieta especial de desintoxicação. Por muito que tenha resultado com a influencer A ou B, não é uma opção equilibrada e possível de manter a longo prazo

Óbvio que vai perder peso (água sobretudo), pois se houver restrição calórica, há perda de peso. Mas assim que essa restrição termine, o peso estabiliza e tudo volta a depender das suas escolhas diárias. Por isso, não entre a matar, faça uma boa gestão das expetativas e olhe pelo o seu corpo, ele sabe exatamente o que fazer com os excessos.

Resumo

Vale a pena começar 2021 a fazer detox? Não, o nosso corpo tem esse processo assegurado.

Vale a pena regressar ou iniciar um estilo de vida saudável para ajudar o organismo a funcionar na perfeição, para conseguir manter o seu peso estável e nunca mais precisar de medidas drásticas natal após natal, festa após festa.

Fontes:

Disclaimer: O conteúdo deste artigo dirige-se a indivíduos saudáveis e sem problemas de saúde. As condições médicas, compulsão e distúrbios alimentares são problemas sérios e requerem um acompanhamento profissional.

Diana Sousa
Autor

Esposendense de coração, a Diana é doida por boa comida e anda constantemente perdida nos motores de busca de voos, em pulgas com a próxima aventura. Acalma os bichos carpinteiros com treinos diários de cross training e rende-se facilmente perante um bom storytelling.

Comentários