O gato é um dos animais de estimação mais queridos pelas famílias. Em Portugal, mais de metade dos lares têm um animal de companhia e dos 5,8 milhões de animais de estimação, 1,4 milhões são gatos.

Quando se pensa em levar um destes pequenos felinos para casa é necessário perceber, antes de mais, quanto custa ter um gato e o que deve ser tido em conta para que ele viva feliz e de forma saudável. Afinal, quanto custa ter um gato? Fizemos as contas e reunimos os gastos únicos, mensais e anuais de adotar ou comprar este animal de estimação.

Tabela de Conteúdos

Benefícios de ter um gato em casa

São vários os estudos e pesquisas realizadas em torno dos benefícios de ter um gato em casa. As conclusões são comuns:

1. São calmos, independentes e de baixa manutenção

Para as famílias que desejam adotar um gato, mas ficam reticentes quanto aos cuidados que este poderá necessitar no seu dia a dia, a verdade é que estes animais de estimação são muito independentes, calmos e de baixa manutenção.

Quando os donos precisam de se ausentar, por algumas horas ou até o dia todo, os gatos apenas requerem alcance alimentação (ração e água), brinquedos e um espaço para dormir.

2. São ótimas companhias

Para quem mora sozinho ou para quem trabalha a partir de casa, por exemplo, os gatos são excelentes companhias e ajudam a combater a solidão. E da mesma forma que conseguem ser muito independentes e tranquilos, os gatos são animais muito divertidos, que gostam de brincar e de ter atenção, mas tudo depende da raça e da sua própria personalidade.

3. Não necessitam de grandes espaços

Os gatos precisam de andar livremente pela casa, em vez de ficarem fechados numa divisão durante todo o dia.

Contudo, não necessitam de grandes espaços para serem felizes e saudáveis. Uma família que viva numa habitação mais pequena também pode ter um gato. Na verdade, são ótimos animais para ter em apartamentos.

4. Ajudam a reduzir a ansiedade e o stress

As evidências científicas comprovam que brincar com um gato ou estar simplesmente com ele, a ouvir o ronronar, ajuda a diminuir os níveis de ansiedade e stress, acalmando o sistema nervoso e a pressão arterial.

5. Contribuem para o desenvolvimento das crianças

Além de protegerem as crianças de alergias nos primeiros anos de vida, os gatos contribuem para que as crianças no geral se tornem adultos mais responsáveis e socialmente ativos.

Encontra mais de 5800 artigos essenciais para o teu gato no KuantoKusta

Temos mais de 2 milhões de produtos, em mais de 1000 lojas. Tudo em KuantoKusta.pt.

Como posso ter um gato?

Por mais independentes e calmos que sejam, ter um gato exige responsabilidade. Se, mesmo assim, a intenção é avançar com a ideia e trazer este amigo de quatro patas para casa, existem várias formas de o fazer, nomeadamente:

Recorrer à adotação

Existem inúmeras associações em Portugal responsáveis por acolher e cuidar de milhares de gatos que acabam por nascer na rua ou são até mesmo abandonados pelos seus donos. Todos eles procuram uma nova família, uma oportunidade para serem felizes.

Para começar, basta pesquisar online associações e organizações de resgate e adoção animal, como a adopta-me.org. Depois, talvez seja necessário recorrer a associações de animais ou a um gatil para esclarecer todas as dúvidas sobre os gatos que tens em vista. Se houver disponibilidade de deslocação, não há nada como visitar estes locais e estar em contacto direto com os animais.

Resgatar

É muito comum ver-se gatos e outros animais abandonados na rua, seja em pleno centro da cidade ou nas periferias. Por isso, o gato que procuras pode estar a viver por perto da zona de habitação ou de trabalho.

Caso a decisão recaia sobre resgatar um gato da rua, este deve ser levado a um veterinário o mais rápido possível para que possa ser analisado por um especialista, vacinado e para garantir que está tudo bem com ele.

Comprar

Se há uma raça em particular que desperta a atenção, talvez a única solução seja comprar um gato. Neste caso, é necessário escolher um criador de confiança, experiente com a raça em questão, e que garanta que tudo é feito dentro da legalidade exigida e que todos os cuidados necessários são prestados aos animais. Para evitar surpresas, como burlas, maus-tratos ou outras situações problemáticas, o criador deve ser questionado sobre:

  • Se é permitido fazer uma visita ao espaço para ver as condições em que os animais são criados e onde estão os gatos instalados;
  • Se é possível ver a mãe dos gatos para avaliar se é bem acompanhada e se é efetivamente da raça em questão;
  • Quantos meses tem o gato, de forma a garantir que tem um bom início de vida e não é retirado de perto da mãe cedo demais;
  • Se os gatos estão vacinados e desparasitados – assim como o local responsável pela vacinação
    Se tem a documentação do animal em dia;
  • Qual a experiência na criação destes animais e a razão pela qual se especializou nessa raça em particular;
  • Qual o valor do animal e o contrato – um profissional legalizado tem de finalizar o negócio com um contrato de compra e venda que inclua o valor acordado, dados pessoais de ambas as partes e do gato;
  • Que conselhos recomenda para cuidar e alimentar o gato.

Quais são as raças de gato mais procuradas em Portugal?

Existem várias raças de gatos espalhadas por todo o mundo. Só a World Cat Federation já conseguiu identificar mais de 75. As raças dos gatos dividem-se, sobretudo, de acordo com a variedade da pelagem dos gatos (curta, média ou longa).

Em Portugal, as 6 raças mais procuradas são Persa, Siamês, Europeu Comum, Angorá, Azul Inglês de pelo curto e Azul da Rússia.

Quais são os custos com o animal?

Além da disponibilidade para cuidar de um animal, é também necessário equacionar quanto custa ter um gato. Um gato engloba gastos iniciais, mensais e anuais, que devem ser tidos em consideração antes de avançar com a decisão de o trazer para casa.

Custos Únicos

Aquisição

Se a escolha recair sobre comprar um gato, este custo único e inicial deve ser tido em conta. Provavelmente esta será a despesa mais elevada, mas tudo depende da raça e do local de compra escolhido.

Registo e Identificação eletrónica (microchip)

O registo e o microchip são custos únicos e não são obrigatórios para os gatos, mas são aconselháveis. No caso do Registo, este deve ser feito na junta de freguesia da área de residência e custa 5€. Já a Identificação Eletrónica (microchip + inserção de dados no sistema) deve ser feita por um veterinário e custa até 30€, dependendo do local onde o realizar.

Boletim sanitário

O Boletim Sanitário é obrigatório e é adquirido na primeira consulta. Custa cerca de 1€ e reúne todas as informações do gato, nomeadamente: nome, raça, idade, número de identificação eletrónica (microchip), registo de vacinação e desparasitação.

Esterilização

O processo de esterilização é recomendado por veterinários para evitar o aparecimento de determinadas doenças. É aconselhável especialmente em casos de adoção ou de resgate de um gato. Assim, reduzem-se os animais abandonados nas ruas ou que vão parara a associações.

O valor de uma esterilização difere do género do animal, podendo custar entre 125€ e 150€ no caso das fêmeas e cerca de 70€ no caso dos machos.

Acessórios e brinquedos

Os gatos necessitam de determinados acessórios para crescerem de forma feliz e saudável. Grande parte destes objetos duram muitos anos e, em alguns casos, uma vida toda. Eis alguns exemplos:

Custos mensais

Os custos mensais centram-se principalmente nos gastos com a alimentação e higiene do gato.

Alimentação

A ração de um gato é uma das parcelas que mais pesa no orçamento familiar quando falamos sobre quanto custa ter um gato. Tudo depende da marca, do tipo de ração escolhida ou necessária para o animal, bem como da quantidade e do local onde esta é adquirida.

Por exemplo, uma saqueta de Ração Húmida para gatos da Purina, de 85g, pode custar cerca de 0,70€. Já um saco de 20kg de Ração Seca para Gatos Adultos pode rondar os 30€.

Higiene

No que diz respeito à higiene do animal, é preciso ter em conta a areia do wc do gato. O custo da areia varia com a marca, tipo e quantidade necessária. Existem opções para todos os bolsos, podendo ir de 1,50€ até aos 20€.

Custos anuais

Não podemos deixar de analisar os custos anuais quando falamos de quanto custa ter um gato. Nesta categoria entram essencialmente os custos com licenciamento e veterinário.

Licenciamento

O licenciamento animal não é obrigatório para os gatos, mas é feito anualmente nas juntas.

Veterinário

No campo da saúde e bem-estar do animal, isto é, veterinário, os custos são mais elevados, mas menos frequentes. Nos primeiros anos de vida do gato, as idas ao veterinário são mais recorrentes, desde o check-up inicial até completar o plano de vacinação inicial. Depois, passam a ser trimestrais, semestrais e anuais.

Um check-up geral deve ser feito todos os anos e custa em média 25€. O valor das vacinas, apesar de nem todas serem obrigatórias, ronda os 20€.

O custo da desparasitação interna e externa, que é um dos procedimentos mais importantes para a saúde de um animal, pode variar entre 5€ (através da ingestão de um comprimido) e 20€ (no veterinário).

Afinal, quanto custa ter um gato?

Como pudemos ver, não existe um valor fixo quando falamos dos custos de ter um gato. No entanto, a média anual de gastos por categoria é a seguinte:

  • Alimentação em média 425€ por ano;
  • Higiene: 224€ anualmente;
  • Cuidados de Saúde anuais: 143€;
  • Outros (acessórios, brinquedos e similares): 73€;

No total, anualmente, os gastos médios com um gato rondam os 865€.

Trazer um gato ou qualquer outro animal de estimação para casa é sempre um momento emocionante para todos: quer para a família que acaba de ganhar mais um membro na família, quer para o animal que acaba de ganhar um lar onde será feliz.

E no meio de toda esta emoção, o custo de ter um gato acaba por perder um pouco a importância.

Catarina Martins
Autor

A Catarina adora passar tempo em família, ver séries e não dispensa um bom livro. Descobriu recentemente o gosto pela escrita e por partilhar dicas e ideias sobre Casa e Decoração.

Comentários