A grande questão nas TVs dos nossos dias, OLED ou QLED? Duas tecnologias divergentes que ambicionam o mesmo: a melhor experiência de televisão possível. Ao contrário do que os seus nomes deixem antever, estas são duas tecnologias que assentam em princípios bastante diferentes.

Vamos então perceber como são diferentes OLED e QLED

OLED

OLED é a sigla para Organic Light-Emitting Diode, ao contrário do que seria de esperar a parte do LED não se refere a um LED retro-iluminado como acontece nas televisões LED e QLED mas sim a um LED que se ilumina por cada pixel.

Estes filamentos são capazes de produzir tanto luz como cor em simultâneo, com uma particularidade bastante interessante que é o facto de quando não recebem electricidade apagam completamente o que origina os soberbos pretos que se reconhecem a esta tecnologia.

Sendo que um dos aspectos distintivos para uma boa visualização é o contraste, esta tecnologia permite conseguir bons níveis de contraste (contraste: a diferença entre a parte mais escura e a parte mais clara),

O OLED é uma tecnologia que apresenta várias vantagens para além das acima apresentadas. Para começar é uma tecnologia com consumos mais baixos muito por força de não ter retro-iluminação e assim permite painéis mais esguios e uma melhor eficiência energética. Também tem um ângulo de visualização muito mais abrangente do que os concorrentes, em alguns painéis consegue manter a qualidade de visualização até 84º o que é impressionante.

Por outro lado, apesar das recentes baixas de preço, continua a ser uma tecnologia mais cara e com uma vida estimada mais curta(muito embora exceda em muito o que na realidade será o curso de vida de um aparelho de TV), tem sido falado também o problema de burn-in muito embora isto seja uma possibilidade real é uma raridade em termos estatísticos e diria que não muito relevante ainda assim é melhor estar a para da dita possibilidade.

Esta é uma tecnologia exclusiva da marca Coreana LG muito embora actualmente já produzam painéis para outras marcas nomeadamente Sony e Panasonic.

QLED

Esta tecnologia foi desenvolvida pela Samsung em que o Q em QLED significa Quantum referente a Quantum Dot. Mas o que é na realidade!? São nano partículas que melhoram significativamente a cor e brilho em relação ao comum LED.

Tendo em conta estes aspectos vamos verificar que esta não é uma tecnologia que muda drasticamente o que já se fazia mas que vem trazer uma grande melhoria. o QLED assim como o LED funcionam com um numero de LEDs atrás de um painel de LCD que, simplificando, vai abrir e fechar milhares de micro janelas para deixar ou não passar a luz dos LED.

É um bom sistema muito embora fique dependente da redução de intensidade e bloqueio da luz para obter pretos reais, algo que por vezes pode ser difícil pois existe sempre algum bleeding de luz, neste aspecto não consegue concorrer com o OLED.

O QLED tem como ponto forte o brilho e saturação de cor que conseguem níveis excepcionais devido ao desempenho dos quantum dots esta tecnologia atinge o seu apogeu na cor e brilho e mesmo em ambientes muito iluminados é possível ver nitidamente.

Em termos de ângulo de visualização o QLED deve ser visto de frente uma vez que vai perdendo imensa qualidade de cor e contraste à medida que nos deslocamos para o lado.

Muito embora o QLED tenha um tempo de resposta muito rápido, entre 2 a 8 milissegundos, este tempo fica muito aquém daquilo que o OLED faz no entanto relativizamos a importância desta visto que ainda assim é muito rápido.

Algo em que se distingue é no tempo estimado de vida mas mais uma vez vamos dar pouca importância a este factor pois esse tempo excede em muito o tempo que actualmente esperamos ter a mesma televisão.

Conclusão

Embora tanto QLED como OLED sejam ambas tecnologias muito boas e com produtos excelentes no mercado, o OLED tem mais vantagens em aspectos que se traduzem em utilização mais confortável e com mais impacto no quotidiano.

João Correia
Autor

Gestor de Conteúdos no KuantoKusta, Techie entusiasta por PC building e fã acérrimo de videojogos.

Comentários