Correr é um dos meus desportos favoritos. Ir estrada fora com as minhas melhores sapatilhas para correr, sem música, sem pensar em nada, focada na respiração e distraída pela paisagem e pelas pessoas por quem passo. Consigo desligar do stress do dia a dia e olhar para os detalhes do que me rodeia, como os patos-reais no estuário do Cávado, ou as senhoras que vendem hortícolas ao domingo na beira da estrada.

Desde este último confinamento que tenho feito três corridas por semana, entre 7 a 10 km, a um ritmo médio de 5.15 minutos/km. E sinto-me bem: a caixa tem correspondido e não tenho ficado com dores nos músculos ou nas articulações das pernas. Mas, quando comecei, não era bem assim.

O impacto das sapatilhas na corrida

Quem já leu o meu artigo sobre cross training, sabe que antes da COVID-19, fazia aulas de cross training de segunda a sábado . Por isso, posso dizer que estava em boa forma e que a minha resistência cardiovascular estava preparada para o mundo da corrida.

O problema foi ter começado a correr com um calçado não adequado, que não amortecia devidamente o impacto da passada nos músculos e nas articulações.

Saía com as sapatilhas que usava no cross training, com uma sola forte e um calcanhar largo para estabilidade e bloqueio do pé. Resultado? Chegava a casa a queixar-me do joelho direito (sempre o mesmo teimoso) e a sentir as pernas pesadas.

Percebi que, para as minhas corridas diárias em estrada, e tendo em conta a minha anatomia, precisava de umas sapatilhas flexíveis, mas estáveis, e com um amortecimento extra debaixo dos pés para que o impacto da passada fosse menos agressivo nas articulações.

As melhores sapatilhas para correr

E à medida que fui investigando mais sobre sapatilhas de corrida, percebi que há, na verdade, modelos específicos para cada tipo de corrida. O que faz todo o sentido! Correr 10 km em estrada, a um ritmo médio, como eu faço, é muito diferente de correr no monte, em terrenos acidentados, ou de fazer sprints de velocidade em pista.

O certo é que o título de “melhor sapatilha” depende de vários fatores. Depende do tipo de treino, dos objetivos de cada um, das características físicas e das características dos percursos habituais.

Mas escolher as melhores sapatilhas para correr e ainda os modelos certo para as nossas metas, não é uma tarefa fácil. Para o/a ajudar, aqui ficam algumas sugestões e dicas sobre os aspetos fundamentais a ter em conta no momento da compra das sapatilhas ideais.

As melhores sapatilhas para correr: tipos de corrida e sugestões

Correr em estrada

As sapatilhas mais adequadas para as corridas diárias em estrada devem ser, sobretudo, confortáveis, amortecidas e flexíveis, suportando o corpo quando corremos em linha recta e quando mudamos de direção.

No geral, devem cumprir os seguintes requisitos:

  • Palmilha com várias camadas para amortecer o impacto e absorver a transpiração/regular a temperatura;
  • Língua acolchoada;
  • Calcanhar não inclinado;
  • Parte superior em tecido macio e respirável;
  • Sola capaz de resistir ao impacto da passada.
As melhores sapatilhas para correr em estrada
New Balance Fresh Foam Vongo V4
New Balance Fresh Foam Vongo V4
New Balance Fresh Foam Vongo V4

As New Balance Fresh Foam Vongo V4 apresentam um suporte inovador. A composição única da sola intermédia foi desenvolvida para que a sapatilha proporcione uma corrida fluída e estável. O design estruturado garante um ajuste seguro, enquanto a rede respirável da parte superior oferece flexibilidade.

Adidas Ultraboost
Adidas Ultraboost 21
Adidas Ultraboost 21

As Adidas Ultraboost 21 são umas sapatilhas extremamente confortáveis, estáveis e que oferecem um bom ajuste.

Uma parceira de confiança para corridas mais longas e lentas, quilómetro após quilómetro. Apresenta uma sola intermédia volumosa e a integração do novo Linear Energy Push (LEP), que promete uma absorção superior do impacto.

Asics Gel Kinsei
Asics Gel Kinsei
Asics Gel Kinsei

As Asics Gel Kinsei tem um amortecimento fora de série, este modelo é indicado para treinos a ritmos mais lentos, acima dos 5:30 min/km. É, por isso, recomendada para quem quer começar a correr. A borracha da sola é bastante resistente e o tecido da parte superior é respirável e adaptável ao pé.

Nike Running Run All Day 2
Nike Running Run All Day 2
Nike Run All Day 2

Leves e confortáveis, as sapatilhas Nike Running Run All Day 2 são perfeitas para os atletas de “dia sim, dia não”. A espuma interna mantém a passada firme e o pé seguro no lugar.

O tecido em rede da parte superior proporciona a ventilação necessária para uma boa regulação da temperatura do pé.

Brooks Running Ghost
Brooks Running Ghost
Brooks Ghost 9

Devido à tecnologia BioMoGo DNA na entressola, as Brooks Running Ghost adaptam-se, suavemente, a cada passada. Além disso, absorvem o impacto de forma eficaz e oferecem um ajuste confortável, macio e leve.

Trail running

Há quatro aspetos essenciais a considerar na escolha de uma sapatilha para trail running:

  • A proteção que o modelo oferece;
  • A aderência da sola ao terreno;
  • O peso da sapatilha;
  • O conforto que proporciona ao atleta, sobretudo em distâncias mais longas e superfícies mais duras e irregulares.

À exceção dos atletas experientes, que competem em terrenos muito técnicos, para o comum dos mortais, explorador da natureza, o ideal é optar por uma sapatilha mista, ou seja, que dê boa resposta tanto em estrada como em trilhos.

Estes modelos apresentam uma sola resistente e uma base mais larga, com um piso aderente para uma boa tração no solo. Pode ser também boa ideia considerar uma sapatilha de trail running à prova de água e com boca no tornozelo que evite a entrada de detritos.

As melhores sapatilhas para trail running
Adidas Terrex Agravic
Adidas Terrex Agravic
Adidas Terrex Agravic

Com sola de borracha Continental™, as sapatilhas Terrex Agravic garantem aderência em terrenos íngremes e irregulares. O topo em material sintético é respirável e resistente a abrasões.

Nike Sapatilhas de Trail Running Air Wildhorse
Nike Sapatilhas de Trail Running Air Wildhorse
Nike Wildhorse 7

A construção robusta desta sapatilha oferece durabilidade, por mais extremos que sejam os trilhos. A malha da parte superior ajuda a manter o pé ventilado e a espuma Nike React proporciona uma passada macia e fluída.

A sola exterior das Nike Sapatilhas de Trail Running Air Wildhorse é fabricada com borracha de elevada abrasão que garante aderência nas subidas e nas descidas.

Salomon S-Lab X-Series
Salomon S-Lab X-Series
Salomon S-Lab X-Series

As Salomon S-Lab X-Series são umas sapatilhas usadas tanto por maratonistas como por ultra-maratonistas.

E nem precisamos de dizer muito mais depois disso! Oferecem leveza, durabilidade e uma performance de alto nível.

Merrell Trail Running Trail Glove 5
Merrell Trail Running Trail Glove 5
Merrell Trail Glove 5

Leves e flexíveis, as Merrell Trail Running Trail Glove 5 apresentam uma sola em borracha de 4 mm e o sistema Trail Protect Plate®, que oferece proteção extra a planta do pé. É, por isso, confortável tanto para percursos de estrada como para trilhos irregulares.

3. Pista

Para treinos na pista e corta-mato, aconselham-se as sapatilhas de bicos. Estas devem ser leves e respiráveis, para além de oferecer um ajuste seguro, de modo a que o pé não saia do sítio.

Deixo a ressalva que são sapatilhas que exigem adaptação, porque são pouco amortecidas, e destinam-se, principalmente, a corredores experientes.

As melhores sapatilhas para correr em pista
Asics Cosmoracer™ LD 2
Fonte: Asics
Asics Cosmoracer™ LD 2

Este modelo inclui a tecnologia FLYTEFOAM™ na entressola para um ressalto extenso mas leve e painéis em malha para acompanhar o movimento natural do pé. Foram desenvolvidas para velocistas de meio fundo.

Nike Zoom Rival S9
Nike Zoom Rival S9
Nike Zoom Rival S9

As sapatilhas Nike Zoom Rival S9 garantem velocidade e versatilidade em pista. Estas sapatilhas foram construídas para oferecer transições fluídas e rápidas, sendo ideais para provas de velocidade, obstáculos e salto em comprimento.

Adidas Sapatos de Bicos Meio-Fundo Adizero
Adidas Sapatos de Bicos Meio-Fundo Adizero
Adidas Sapatos de Bicos Meio-Fundo Adizero

O calcanhar desacoplado absorve os impactos de cada passada das Adidas Sapatos de Bicos Meio-Fundo Adizero, e o design único garante estabilidade nas transições e nas curvas. São recomendas para corridas de meio-fundo.

New Balance Sigma Aria
Fonte: New Balance
New Balance Sigma Aria

Segundo a marca, este modelo combina velocidade e resistência. Foi concebido para transições suaves, mas repentinas, com um bom equilíbrio entre rigidez e conforto.

Hoka One One
Hoka One One
Hoka One One 

As Hoka One One são bastante leves, que oferecem um bom suporte e apresenta uma boa tração à superfície. A colocação assimétrica dos picos torna as mudanças de direção fáceis e suaves.

Conclusão

Para além das sapatilhas ideais, existem alguns acessórios essenciais para praticantes de running que podem tornar as corridas mais agradáveis, e até motivarem-nos mais para nos fazermos à estrada!

Quero terminar este artigo com a partilha de quatro dicas muitos simples, que vão ajudar a comprar a melhor sapatilha para cada tipo de corrida. E são elas:

  • Tenha em conta que o tamanho das sapatilhas varia de acordo com a marca e o modelo. Por isso, consulte  sempre o guia de tamanhos na ficha de produto da sapatilha;
  • A ponta do dedo nunca deve encostar à ponta da sapatilha, pois essa parte não cede. Quando calçar o modelo, movimente os dedos, de modo a confirmar se tem espaço suficiente. Usar um par de sapatilhas demasiado pequeno podes provocar bolhas e unhas dos pés pisadas. Um par demasiado grande não é capaz de absorver o impacto e maximizar o impulso de forma adequada;
  • Deve optar-se por comprar sapatilhas mais leves, pois serão melhores para os músculos e articulações;
  • Deve experimentar-se as sapatilhas ao fim do dia, pois à noite os pés tendem a ficar mais inchados, tal como acontece quando fazemos desporto. Se experimentar as sapatilhas antes de um treino ou de manhã cedo, pode acabar com um ajuste demasiado apertado.

Boas compras e boas corridas!

Autor

Esposendense de coração, a Diana é doida por boa comida e anda constantemente perdida nos motores de busca de voos, em pulgas com a próxima aventura. Acalma os bichos carpinteiros com treinos diários de cross training e rende-se facilmente perante um bom storytelling.

Comentários