A minha avó materna sempre teve gatos. Fossem vadios que apareciam lá só para comer, o gato do vizinho que ia fazer companhia ou a Neca, o Tobias, o Spoky, ou a Daisy, todas as minhas memórias de fins de semana passados na casa da avó incluem gatos a dormir ao sol nas soleiras das portas.

Lembro-me também muito bem das latinhas de comida húmida espalhadas pelo jardim. Quando a minha avó ia às compras nunca se esquecia da ração para os gatos que a visitavam. E quando eu passei fazer as compras do mês por ela, comecei a saber mais sobre as diferentes opções que existem no mercado.

Tabela de Conteúdos

Como deve ser a dieta do meu gato?

A premissa de uma boa dieta para os nossos amigos felinos assenta em três pilares:

  • ser variada;
  • ser equilibrada, com as proporções certas de macro e micronutrientes e ácidos gordos;
  • ser adequada à idade, possíveis sensibilidades e estilo de vida (se vive no interior ou no exterior) do seu gato.

Os gatos são carnívoros essenciais, por isso, todas as rações de felinos apresentam uma concentração de proteína elevada, muitas vezes superior à concentração das rações para cães. Na dose diária de ração, a proteína de origem animal, seja de frango, vaca, borrego ou salmão (as mais comuns), deve ser o ingrediente principal. A proteína fornece os aminoácidos necessários para o desenvolvimento e manutenção da massa muscular. O ideal é que a proteína tenha origem no alimento fresco, desidratado ou hidrolisado, devendo evitar as farinhas de peixe ou de carne.

Em relação aos hidratos de carbono, é importante que estes sejam de boa qualidade e fáceis de digerir, como o arroz, o milho, a batata doce, a ervilha, a mandioca, a maçã, a cenoura, entre outros. Por sua vez, as gorduras, sobretudo os ómegas 3 e 6, os minerais e as vitaminas, são essenciais para as funções vitais, para a formação óssea e para o aspeto do pelo e da pele.

Será que a ração do meu gato tem todos os nutrientes necessários?

O Regulamento (CE) n. o 767/2009 do Parlamento Europeu define as regras para as rações disponíveis no mercado. Antes de serem comercializadas, as rações têm de cumprir determinados níveis mínimos e máximos de nutrientes.

De acordo com o Regulamento e também com o guia nutricional da European Pet Food Industry Federation (FEDIAF), as rações rotuladas como “Alimento Completo” têm de ser suficientes para cobrir todas as necessidades nutricionais dos animais, em determinada fase da vida, quando ingeridas diariamente como única fonte de nutrientes. Se a ração for adequada para uma fase da vida específica, deve indicá-lo claramente no rótulo.

Uma boa ração apresenta uma lista de ingredientes detalhada. Nunca se esqueça que os ingredientes estão listados por ordem decrescente, ou seja, os que estão presentes em maior quantidade, aparecem primeiro.

Assim, nas melhores rações, os primeiros ingredientes listados são fontes de proteína de elevada qualidade e digestibilidade, de origem animal, tais como carne/peixe frescos, inteiros ou desidratados.

Mas tenha em atenção o seguinte: se o primeiro ingrediente for carne ou peixe fresco e o segundo, com uma percentagem muito próxima do anterior, for cereais/farinhas/glúten, provavelmente este segundo ingrediente tem, na verdade, maior concentração na composição final da ração. O que acontece é que os ingredientes destas fórmulas são pesados antes de serem processados. Ora, mais de metade do peso da carne e do peixe fresco é água que, com o processamento, é retirada, diminuindo o peso da proteína em questão.

Também, lembre-se que a origem da proteína é mais importante do que as percentagens do macronutriente na composição da ração. A fonte proteica determina a qualidade nutricional e o valor biológico do alimento em si. Devemos tentar perceber de que fontes provém a proteína e se são, maioritariamente, de ingredientes de origem animal.

no caso da gordura, a sua origem deve ser especificada, por exemplo, óleo de salmão, gordura de frango ou óleo de linhaça, e não ser nomeada de forma genérica, como gordura animal.

Por último, evite rações que contenham corantes e conservantes sintéticos (BHA, BHT e Etoxiquina) e opte por alimentos que utilizam conservantes naturais, como a vitamina C, também conhecida como ácido ascórbico, e extratos de plantas.

Qual a quantidade de ração que devo dar ao meu gato?

Depende. Depende da raça, da idade e do peso. Mas todas as marcas de ração incluem tabelas nos rótulos que ajudam a fazer as contas, garantindo que não dá nem a mais nem a menos.

Em quantas doses deve dividir o total de ração a dar diariamente?

Depende também! Mas, desta vez, depende sobretudo da sua rotina em casa e da personalidade do seu felino. Enquanto são gatinhos, até aos 6 meses, de modo geral, aconselham-se várias refeições diárias, evitando jejuns prolongados. Se for mais crescido e maluco por comida, é preferível dividir a dose diária em duas vezes. Se for mais controlado, pode optar por deixar a comida disponível ao longo do dia, de maneira a que vá comendo quando lhe apetecer.

Quando escolher a ração para o seu gato, deve ter em conta que quanto menor a quantidade indicada no rótulo, melhor a qualidade da ração, uma vez que significa que o animal fica saciado com uma porção menor. Este é um aspeto relevante para perceber se está a fazer a melhor escolha em termos de poupança.

Na verdade, uma ração mais barata nem sempre significa uma poupança de dinheiro uma vez que, sendo as quantidades diárias mais elevadas, acaba por ter de comprar mais sacos de ração para o mesmo período de tempo.

Devo optar por comida seca ou húmida?

Comida seca e comida húmida são os dois principais tipos de alimentos para gatos disponíveis no mercado.

A ração húmida, ou patês, é rica em humidade (cerca de 80% da sua composição), sendo formulada para cobrir todas as necessidades nutricionais diárias do gato. Por ser um alimento rico em textura, sabor e aroma, existe uma tendência para que os nossos amigos de quatro patas o prefiram. Também, como é um alimento rico em humidade, ajuda a manter o nosso animal bem hidratado.

A ração seca tem a vantagem de ser uma solução conveniente e mais económica. Tem um prazo de validade mais longo e pode, além do mais, deixar-se à disposição do bichano, pois não se estraga facilmente.

Existe uma ração ideal para todos os gatos?

Não. Assim como não há uma dieta ideal para todas as pessoas. Varia.

Cada gato tem diferentes necessidades nutricionais e, felizmente, existem opções de ração para todos os felinos, gostos e carteiras. Deixo uma lista com algumas das melhores rações secas e húmidas do mercado.

Sugestões de melhores rações secas para gatos

1. Royal Canin Kitten

Royal Canin Kitten
Royal Canin Kitten

Indicada para gatinhos dos 4 aos 12 meses, esta ração apresenta uma combinação de proteínas selecionadas pela sua elevada digestibilidade, reduzindo o volume de resíduos fermentescíveis no intestino. Além disso, é reforçada com nutrientes específicos que promovem as defesas naturais do pequeno.

2. Acana Indoor Entrée No Grain

Acana Indoor Entrée No Grain
Acana Indoor Entrée No Grain

Formulada com ingredientes frescos, é uma opção gatos adultos rica em proteína animal. Tem todos os nutrientes que o seu gato precisa e um sabor que ele vai de certeza gostar.

3. Picart Select Adult Sensitive Sterilised/Light

Picart Select Sensitive Sterilised
Picart Select Sensitive Sterilised

Uma ração seca completa e equilibrada, adequada a gatos adultos com digestão sensível, leves alergias, esterilizados ou com excesso de peso. Não contém glúten, nem organismos geneticamente modificados.

4. Taste of the Wild Rocky Mountain

Taste of the Wild Rocky Mountain
Taste of the Wild Rocky Mountain

Esta ração é bastante versátil, pois está indicada para todas as raças de gatos e para todas as fases da vida. Sem grãos, com proteína de salmão fresco, batata doce, ervilhas, framboesas, entre outras frutas e vegetais, é fonte de ómegas 3 e 6, vitaminas e minerais essenciais.

5. Advance Adult Chicken & Rice

Advance Kitten Chicken & Rice Cat
Advance Kitten Chicken & Rice Cat

Com níveis de proteína e gordura indicados para gatos na sua fase adulta, esta opção é reforçada com taurina, muito importante para a visão do seu felino. Além disso, apresenta ácidos gordos essenciais ómega 3 e 6, que contribuem para um pelo saudável e brilhante.

6. Purina Pro Plan Sterilised Optirenal Salmon & Rice

Purina Pro Plan Sterilised Optirenal Salmon & Rice
Purina Pro Plan Sterilised Optirenal Salmon & Rice

É um alimento completo, indicado para gatos adultos esterilizados, pois ajuda a manter a saúde urinária e a prevenir a doença Felina do Trato Urinário Inferior, à qual os gatos esterilizados estão mais vulneráveis. Contém OPTIRENAL, uma combinação de ingredientes cientificamente formulada para promover rins saudáveis, incluindo aminoácidos, ácidos gordos essenciais e antioxidantes.

Sugestões de ração húmida para gatos

7. Royal Canin Kitten Loaf

Ração Húmida Royal Canin Kitten Loaf
Ração Húmida Royal Canin Kitten Loaf

Rica em vitaminas e minerais, esta ração húmida para gatinhos até 12 meses apresenta uma concentração ótima de proteína de boa qualidade.

8. Purina Pro Plan Vet Diets OM Obesity Management

Ração Húmida Purina Pro Plan Vet Diets OM
Ração Húmida Purina Pro Plan Vet Diets OM

Esta ração húmida é formulada com elevados níveis de proteína para ajudar a manter a massa corporal magra e promover a sensação de saciedade do gato. De notar que esta opção não está recomendada a gatos que necessitem de um elevado consumo calórico como fêmas gestantes ou gatinhos em crescimento.

9. Purina Gourmet Gold Mousse Ocean Fish

Ração Húmida Purina Gourmet Gold Mousse Ocean Fish
Ração Húmida Purina Gourmet Gold Mousse Ocean Fish

Sem corantes, conservantes ou aromas artificiais, a linha Gourmet da Purina combina ingredientes de qualidade e tem em conta a textura e o sabor dos produtos, prometendo proporcionar uma experiência deliciosa ao seu bichano.

10. Specific Vet Digestive Support

Ração Húmida Specific Vet Digestive Support
Ração Húmida Specific Vet Digestive Support

Esta ração húmida está indicada para gatos com atividade enzimática intestinal diminuída, ou seja, que tenham sensibilidades e problemas gastrointestinais. É formulada com ingredientes de elevada digestibilidade e apresenta alto teor de minerais e vitaminas lipossolúveis.

Conclusão

A alimentação dos gatos é um dos fatores que mais influencia a saúde e o bem-estar destes animais. Assim, deve ser escolhida de forma criteriosa e tendo em conta diversos fatores, como a idade e qualquer tipo de doenças ou sensibilidades que o felino possa ter.

E termino este artigo com três indicações adicionais importantes. A primeira, não dê da sua comida ao seu gato, por muito tentador que seja. Aquilo que comemos não está formulado para suprimir as necessidades nutritivas do seu gato. Assim, para garantir o correto desenvolvimento e crescimento do animal, deve ficar-se apenas pela comida para gato.

Depois, não me podia esquecer da hidratação. É imperativo que garanta que o gato tem sempre água fresca e limpa à sua disposição, preferencialmente junto à comida. Ambas as taças devem ser colocadas num local seco e fresco.

Por fim, reforçar que, para ter a certeza de que está a dar a melhor dieta ao seu gato, peça sempre a opinião do veterinário que cuida dele. Depois de si, ele é a pessoa que melhor conhece o seu patudo e vai saber adequar a ração às suas necessidades.

Fontes:

Autor

Esposendense de coração, a Diana é doida por boa comida e anda constantemente perdida nos motores de busca de voos, em pulgas com a próxima aventura. Acalma os bichos carpinteiros com treinos diários de cross training e rende-se facilmente perante um bom storytelling.

Comentários