Transformar a casa numa smart home é o primeiro passo para ganhar tempo e qualidade de vida.

A possibilidade de ligar o forno enquanto ainda se está no trânsito, de aquecer a casa antes do regresso do trabalho ou de aspirar a casa sem sair do sofá, parecem cenários saídos de um filme de ficção científica. Mas… são bem possíveis!

Qualquer um pode fazer disto realidade, seguindo este passo a passo para transformar a casa numa smart home.

Este guia para iniciantes explica todo o processo de como transformar a casa numa Smart Home.

Vamos lá!

Tabela de Conteúdos

Antes de mais, o que é uma smart home?

Uma smart home é, como o próprio nome indica, uma casa inteligente na qual eletrodomésticos e outros dispositivos podem ser controlados de forma automática e remotamente através de uma conexão de internet e um smartphone ou outro dispositivo ligado à rede.

Esses dispositivos têm como objetivo melhorar os níveis de conforto das famílias pois permitem, por exemplo, aspirar uma casa sem sair do sofá ou ligar as luzes de várias divisões sem precisar de interruptor.

Apesar de parecer uma tarefa difícil de executar, começar uma smart home é algo bem mais simples, e barato, do que parece.

A título de exemplo, uma lâmpada inteligente que permita aumentar e diminuir a intensidade, ou até mudar a cor da luz, pode rondar os 10€.

Quanto às colunas inteligentes com assistente virtual que permitem, entre outras coisas, controlar os dispositivos inteligentes através da voz, poderão ser encontradas por menos de 50€, como é o caso do Google Nest Mini.

Equipamentos como aspiradores robot, tomadas inteligentes, aquecedores, fechaduras ou câmaras de vigilância ligadas à internet, são suficientes para transformar a casa numa smart home com menos de 100€.

Resumindo, é possível transformar uma casa numa smart home mesmo tendo um budget mais limitado.

Só em Portugal, 8% das casas já são “smart” e a estimativa é que até 2025 este valor chegue aos 18%. Isto porque transformar a casa numa smart home não exige um grande investimento inicial em tecnologia e novos equipamentos. Com pequenos upgrades à habitação atual, é possível torná-la inteligente e muitas destas alterações custam menos do que um café por dia.

4 benefícios de transformar a casa numa smart home

Além de ajudar a impressionar os amigos e a família, uma smart home é uma casa funcional, segura e amiga do orçamento familiar. Estas são as principais vantagens:

1. Poupança de energia e dinheiro

Transformar a casa numa smart home é um grande passo para reduzir o consumo energético – a poupança na fatura da luz pode chegar aos 30 a 40%.

As tomadas inteligentes, por exemplo, ajudam a reduzir os consumos “fantasma”, isto é, os consumos de energia em stand-by e off-mode. Estes gastos de energia ocorrem quando se desliga a televisão com o comando e não na tomada, ou quando se deixa o carregador ligado à tomada sem estar a carregar o telemóvel.

Com as tomadas inteligentes é possível desligar este tipo de aparelhos e estes consumos acabam de vez.

Dependendo do sistema de automação escolhido, é possível monitorizar o consumo de eletricidade da casa em geral ou de cada eletrodoméstico em particular. A partir destes dados, ajustam-se os parâmetros necessários para poupar na fatura de eletricidade.

2. Conforto

Ao transformar a casa numa smart home ganha-se mais liberdade e conforto. Uma das vantagens das smart home é o controlo à distância que permite desligar luzes, eletrodomésticos e outros dispositivos em casa através do smartphone ou de uma smart speaker – desde que seja compatível com os dispositivos.

Assim, é possível ter o controlo total da casa na palma da mão ou através de controlos de voz, sem sair do sofá.

3. Maior segurança

Uma smart home permite automatizar as fechaduras das portas e controlá-las remotamente. Se não há certezas de que a porta de casa ficou trancada, é possível confirmá-lo através de um smartphone, tablet ou computador.

É ainda possível ligar alarmes inteligentes ao sistema, como os sensores de movimento, câmaras de videovigilância e cadeados inteligentes.

Para quem tem animais de estimação, filhos pequenos ou viva com idosos, esta tecnologia pode ser uma verdadeira aliada.

4. Personalização da casa

Os dispositivos smart podem ajustar-se às preferências e necessidades de qualquer utilizador.

O ar condicionado, por exemplo, pode alterar a temperatura da casa com base nas condições climatéricas externas e também de acordo com as preferências das pessoas que lá vivem. Este mesmo aparelho pode ainda ligar-se minutos antes de as pessoas chegarem a casa, de acordo com as suas rotinas.

Um outro exemplo de personalização total é o sistema de iluminação.

Com interruptores ou lâmpadas inteligentes é possível ajustar a intensidade ou o tom da luz mediante a altura do dia. As luzes podem ligar-se automaticamente mais cedo no Inverno e mais tarde nos dias de Verão ou Primavera.

Guia para transformar a casa numa smart home

Transformar a casa numa smart home é mais simples do que parece.

Com pequenos upgrades e sem fugir ao orçamento, é possível tornar qualquer habitação numa casa inteligente.

Passo 1: Escolher os produtos que vão transformar a casa numa smart home

Smart Speaker (Coluna Inteligente)

Os speakers inteligentes são compostos por altifalantes e microfones com grande alcance, a partir dos quais é possível controlar os dispositivos ligados à rede doméstica.

São opcionais porque é possível controlar todas as smart things através do smartphone, onde a app/sistema de automação está instalada.

Existem várias opções no mercado para todos os gostos e orçamentos, no entanto as Google Nest Mini, Amazon Echo, Xiaomi Mi Smart Speaker, e Apple HomePod estão entre as mais procuradas.

Tomadas Inteligentes

As tomadas inteligentes permitem poupar na fatura da eletricidade. Isto porque desligam automaticamente todos os aparelhos em stand by, que continuam a consumir energia mesmo quando não estão a ser usados.

Depois de instaladas e conectadas à rede doméstica e à app do sistema de automação, passam a poder ser controladas à distância, através do telemóvel, ou do smart speaker.

Iluminação Inteligente

As lâmpadas e os interruptores inteligentes também permitem poupar eletricidade e controlar totalmente as luzes da casa.

Só as lâmpadas inteligentes representam uma poupança de 35% na iluminação.

Para instalar interruptores é necessário remover os atuais, fazer as conexões elétricas e fixar o interruptor na parede.

Porém, a instalação de interruptores não é obrigatório para quem procura iluminação smart. É possível controlar as lâmpadas através da voz ou do smarphone.

O preço das lâmpadas inteligentes varia muito do tipo de lâmpada e da marca, sendo que existem opções a partir dos 8,50€. Já os interruptores, em média, estes rondam os 15€ – 20€.

Câmaras de Vigilância Inteligentes

As câmaras de segurança inteligentes têm vindo a ganhar cada vez mais adeptos pela segurança extra que proporcionam.

Além das funções base, a grande maioria tem visão noturna com grande resolução, deteção de movimentos ou sons e envio de alertas para o smartphone quando se está fora.

A instalação depende muito de fabricante para fabricante, por isso, deve-se seguir sempre as instruções de instalação e configuração da marca.

No que diz respeito ao investimento, este não precisa de ser muito elevado numa fase inicial.

Fechaduras Inteligentes

As fechaduras inteligentes são outra forma de tornar a casa ainda mais segura. Algumas abrem por autenticação e aproximação do telemóvel à fechadura, outras por cartão e em alguns modelos só é necessário introduzir um código de acesso e a porta abre-se.

Além da segurança elevada, estas fechaduras inteligentes são muito cómodas: não é necessário andar com as chaves de um lado para o outro.

Dependendo do sistema de segurança, tecnologia ou marca, estas fechaduras podem ir dos 35€ aos 340€.

Aspiradores Robot

São cada vez mais comuns pela praticidade e ajuda que conferem a qualquer casa. Se é preciso aspirar a casa, mas a disponibilidade ou o gosto por realizar esta tarefa doméstica não é muito grande, um aspirador robot trata disto por ti.

A cada dia que passa surgem novas opções no mercado, no entanto escolher um aspirador robot não precisa de ser difícil, até porque já existem modelos para todo o tipo de orçamentos e necessidades. Há uns mais adequados para quem só quer fazer uma manutenção muito rápida da casa, outros que aspiram com mais detalhe, incluindo pelos de animais e tapetes, outros já lavam o chão, além de o aspirar.

A grande maioria dos robots inteligentes permitem programar para limpar a uma determinada hora e até mesmo delimitar as zonas a serem aspiradas.

Termostato e ACs Inteligentes

Os termostatos inteligentes permitem regular o ar condicionado e o sistema de aquecimento sem que seja necessário pegar no comando do aparelho.

Estes ajustam-se à rotina das pessoas que vivem na casa (hora de acordar, hora de sair para o trabalho, etc.) e em função da previsão do tempo e estações do ano. Se não detetarem pessoas em casa desligam-se automaticamente.

Ajudam ainda a poupar energia por serem autónomos e sensíveis ao que os rodeia, reduzindo assim o valor das faturas de eletricidade.

Apesar de parecer que este upgrade se traduz num investimento elevado, é possível encontrar termostatos inteligentes a partir dos 50€ e que podem ser compatíveis com o sistema de ar condicionado atual.

Assim, não é necessário trocar de sistema de aquecimento/refrigeração.

Eletrodomésticos de Cozinha

Desde o frigorífico, máquina de lavar roupa, forno ou robot de cozinha, é possível equipar a cozinha com praticamente todos os eletrodomésticos e aparelhos eletrónicos que precisas numa vertente smart – os chamados eletrodomésticos inteligentes.

É recomendável começar pelos equipamentos que precisam de ser trocados urgentemente ou pelos que têm maiores consumos energéticos, tipicamente os grandes eletrodomésticos, que irão ter o maior impacto na fatura elétrica ao final do mês.

Passo 2: Escolher o sistema de automação doméstica

As ofertas do mercado são imensas e é importante analisá-las cuidadosamente para perceber se são compatíveis com o smartphone, eletrodomésticos e restantes smart things.

Estes sistemas funcionam como um hub onde estão centralizados e conectados todos os dispositivos smart de uma casa.

É a partir daqui que se pode controlar a iluminação, a temperatura, os smart devices de entretenimento, segurança e os eletrodomésticos através da voz.

Ou seja, é possível ordenar à assistente virtual escolhida que desligue as luzes, ligue a televisão ou tranque as portas.

Atualmente os grandes nomes na área das smart assistants são a Google Assistant, Amazon Alexa e a Siri da Apple.

Google Assistant, Alexa ou Siri – quem leva o prémio de melhor assistente?

A escolha de um assistente virtual na hora de transformar uma casa numa smart home varia muito do tipo de necessidades e preferências.

Para simplificar o processo, apresentamos as principais características destas 3 assistentes:

Google Assistant

Oferece comandos de voz, nomeadamente pesquisa e controlo dos dispositivos móveis de uma smart home. A Google Assistant reconhece hábitos, gostos e preferências.

Quanto mais for usada, mais coerente e lógica se torna, uma vez que vai aprendendo sobre cada habitante consoante os pedidos que vão sendo feitos. Pode ser ativada pelo comando “Ok, Google” e responde como se fosse uma pessoa real.

Alexa

Foi lançada em 2014 e é o assistente inteligente da Amazon. Está disponível em milhões de dispositivos e é compatível com vários sistemas operativos, como Android e Windows 10 – a interação com iOS é mais limitada.

A Alexa surgiu com o objetivo de ajudar os utilizadores a gerirem o seu quotidiano de forma simplificada, especialmente no que diz respeito a compras na Amazon.

Os comandos principais de ativação são “Alexa”, “Amazon” ou “Echo”.

Siri

A Siri é a smart assistant desenvolvida pela Apple.

Através dela é possível apagar ou acender luzes, regular a temperatura de uma divisão, controlar todos os dispositivos de forma remota – apenas é necessário configurar os acessórios HomeKit na app Casa – e muito mais.

A Siri smart assistant compatível com todos os dispositivos Apple e pode ser ativada por voz, com o comando “Ei, Siri”.

Passo 3: Configura as ligações e emparelhamentos necessários entre dispositivos

Para se poder controlar todos os dispositivos, é preciso garantir que estes estão ligadas à mesma rede Wi-Fi e que são suportados pelo sistema de automação escolhido.

Depois, é necessário adicioná-los à lista de dispositivos através da aplicação de gestão.

Por exemplo, no caso de a escolha ser a Google Assistant, deve-se configurar os dispositivos inteligentes de acordo com os passos fornecidos pelos fabricantes e só depois conectá-los à app da Google.

Aqui, deve-se ir a “Assistente”, “Automação residencial” e, na guia “Dispositivos” adicionar o tipo de dispositivo que se quer emparelhar/conectar. Devem ser seguidos todos os passos que a app fornece e, quando a ligação terminar, carregar em “Concluído”. E já está!

Que produtos devo comprar primeiro?

Ao transformar a casa numa smart home, e se o orçamento para estas alterações for reduzido, deve dar-se prioridade aos produtos mais simples, mais baratos e/ou que possam dar um retorno quase imediato.

Além disso, a escolha dos produtos a comprar primeiro deve ser baseada também nas rotinas, gostos pessoais e necessidades diárias de todos.

Deixamos aqui algumas sugestões de packs para iniciar este processo:

1 smart speaker + 1 lâmpada inteligente

Para quem procura começar esta transformação pelo local mais usado pela família (ex: sala) e começar já a usufruir de uma assistente virtual, sugerimos trocar a lâmpada atual por uma inteligente e o Google Nest Mini.

Em conjunto, o investimento não ultrapassará os 45€.

1 smart speaker + 2 tomadas inteligentes + 1 aspirador robot

Este pack pode ser ótimo para quem quer otimizar a gestão da casa.

As tomadas vão ajudar a tornar a casa energeticamente mais eficiente, o aspirador robot vai livrar as pessoas de uma das tarefas domésticas que mais tempo requer e a assistente virtual vai ajudar a gerir agendas, rotinas e os restantes smart devices.

O investimento pode rondar os 250€.

Conclusão

Transformar a casa numa smart home é mais simples (e barato) do que se possa imaginar. Deve-se começar pelo mais básico, investindo nos produtos prioritários e que não pesam tanto no orçamento, como tomadas, lâmpadas ou interruptores, e deixar para o fim os elementos opcionais.

Se algum eletrodoméstico ou home device já dá sinais de que tem de ser substituído, porque não fazer logo o investimento num produto inteligente? É mais um passo na direção de uma casa inteligente, que vai ajudar a poupar no final do mês, a ganhar tempo para o que mais importa e até a ajudar o ambiente.

Autor

Apaixonado por Tecnologia, Cinema, Design e Dragon Ball (como qualquer puto dos 90). O seu mais recente projeto é o de tornar a sua casa numa smart home, e para isso já conta com o Google Nest Mini, o Mi Robot Vacuum Mop 1C da Xiaomi e lâmpadas inteligentes Yeelight.

Comentários