Os tablets são dispositivos portáteis que podem ser úteis em várias atividades e tarefas como jogar, ler, consumir multimédia, navegar na internet e até trabalhar.

Tendo isto em conta, a escolha do tablet certo depende bastante da finalidade que lhe for dada.

Fatores como o sistema operativo, o processador, a memória, o armazenamento, entre outros, têm uma importância diferente consoante o objetivo para o qual se está a comprar o tablet.

Ora, para tornar a escolha um pouco mais fácil, eis tudo o que é necessário saber antes de comprar um tablet:

Tabela de Conteúdos

Qual é a finalidade do tablet?

Antes de olhar para as características técnicas dos tablets, saber qual o uso a que se destina pode reduzir significativamente o trabalho de pesquisa.

Vejamos alguns casos:

Uso ocasional ou leitura

Para um uso ocasional, como navegar na internet, consultar o email ou consumir multimédia, a autonomia, peso e o ecrã são os fatores a ter em conta.

Este tipo de utilização pode ser também equiparado ao uso das crianças: visualização de vídeos no YouTube, jogar alguns jogos “leves”, etc.

Os tablets podem ainda ser uma excelente ferramenta para quem gosta de ler livros em formato digital.

Aliás, estes são uma boa alternativa ao Amazon Kindle e ao Kobo (equipamentos dedicados à leitura de e-books).

Para trabalhar

Nesta matéria tudo depende do tipo de trabalho.

Se for um trabalho que pressupõe o uso mais intensivo do navegador e de várias aplicações em simultâneo, é recomendada a escolha de um tablet com um processador, memória e capacidade de armazenamento superiores.

Se o trabalho incluir a edição de imagem, vídeo ou até a pilotagem de drones, há uma outra característica que se deve considerar: o ecrã.

Levar para as aulas

O tablet pode ser um excelente equipamento para os estudantes.

Permite navegar na internet, aceder ao email, consultar materiais em vários formatos, tirar notas, entre outras funcionalidades.

Para este propósito, a escolha do tablet indicado deverá ter em conta como o processador, autonomia, ecrã e o peso.

Multimédia

Se o objetivo do tablet é o consumo de multimédia, como vídeos, séries e filmes, o ecrã é uma das características mais importantes a considerar no momento da compra.

No entanto, há mais características a ter em conta quando se escolhe um tablet para este fim, tais como: processador, memória e armazenamento.

Gaming

Para os aficionados do gaming, os tablets podem ser uma boa opção pois permite aproveitar cada momento livre para colocar o jogo em dia.

Para estes, a escolha do dispositivo certo deverá ter em conta alguns requisitos: processador de elevado desempenho, memória, ecrã e armazenamento.

Este é o “cocktail” perfeito que irá proporcionar excelentes momentos de jogo.

6 características a considerar antes de comprar um tablet

1. Sistema operativo: 3 alternativas

A escolha do sistema operativo pode filtrar, e muito, a oferta disponível.

Os 3 principais sistemas operativos são o iOS, o Android e Windows.

iOS

Este é o sistema operativo desenvolvido especificamente para os equipamentos da Apple.

O iOS é conhecido por permitir que os seus dispositivos ofereçam uma performance tão boa, ou superior, àquela fornecida pelos seus concorrentes.

Isto deve-se, essencialmente, ao facto do software (sistema operativo) e o hardware (equipamento) serem desenvolvidos pela mesma empresa, a Apple, o que é uma clara vantagem dos tablets Apple (iPad) face a tablets concorrentes que usam Android.

Android

Desenvolvido pela Google, pode dizer-se que este é um sistema operativo “universal” pois equipa a maioria dos tablets de, praticamente, todas as marcas.

Este sistema, por sua vez, é mais exigente do que o iOS e os requisitos a nível de hardware (processador e RAM) são superiores.

Windows

O Windows é um sistema operativo bem conhecido em Portugal.

No entanto, não é muito comum encontrar este sistema operativo em tablets. Estes surgem mais frequentemente em portáteis híbridos, como os portáteis da linha Surface.

2. Processador: velocidade e núcleos

Nos tablets, tal como nos computadores, existem vários processadores.

Ao analisar o processador de um tablet, há 2 fatores a ter em atenção: a velocidade (GHz) e os número de núcleos.

Velocidade

A velocidade dos processadores é medida através dos GHz.

Regra geral, a velocidade destes processadores situa-se entre o 1.0 GHz e os 2.5 GHz. Quanto maior for o número de GHz, mais rápido ele será a executar uma determinada tarefa.

Se o utilizador for exigente poderá optar por um processador com uma velocidade de, pelo menos, 1.3 a 1.5 GHz.

Núcleos

Relativamente ao número de núcleos, existem processadores: dual-core, quad-core, hexa-core e octa-core, que são constituídos por 2, 4, 6 e 8 núcleos respetivamente.

Estes núcleos tornam o tablet mais rápido e eficiente em ambiente multitarefas. 

Por isso, para um tablet rápido a executar mais do que duas ou três tarefas, recomenda-se a escolha de um processador de 6 ou 8 núcleos, em que a velocidade de cada núcleo é a mais alta possível.

Se o uso é ocasional, o objetivo do tablet é consultar a internet, ver fotografias e aceder ao email, um processador de 2 ou 4 núcleos poderá ser uma boa escolha.

3. Memória RAM: qual o mínimo?

A memória RAM auxilia o processador a executar várias tarefas ao mesmo tempo e de forma rápida.

Nos tablets, a memória RAM está disponível desde 1GB até 8GB.

Para tablets Android

No caso dos dispositivos Android, para garantir o mínimo indispensável é necessário 2GB de RAM.

Este número será suficiente para quem procura apenas navegar na internet ou realizar algumas leituras.

Os tablets com maior capacidade de memória RAM, 4GB ou superior, são indicadas para jogos, edição de vídeo e imagem ou outras funções mais exigentes.

Para tablets iOS

Relativamente ao iOS, praticamente qualquer tablet da Apple irá responder às suas necessidades, pois são dispositivos de elevada performance.

No entanto, para quem procura a melhor performance possível dentro dos dispositivos da marca, o iPad topo de gama da Apple, com 6GB de RAM, é o que aliado ideal.

4. Armazenamento: qual a capacidade que devo escolher?

O armazenamento é a característica que vai permitir ao utilizador guardar ficheiros (aplicações, músicas, vídeos, filmes, fotos entre outros) no tablet.

Esta capacidade de armazenamento não é só importante para garantir que há espaço para os ficheiros do utilizador, bem como para o sistema operativo e respectivas atualizações.

Regra geral, a capacidade mínima deste tipo de dispositivos é de 8GB e pode chegar até ao 1TB.

Tal como nos smartphones, escolher um dispositivo com uma capacidade de armazenamento reduzida, como por exemplo de 8GB ou 16GB, poderá trazer constrangimentos de performance devido às constantes atualizações de sistema e à dimensão dos ficheiros.

Assim, recomendamos a aquisição de um dispositivo com pelo menos 32GB de armazenamento.

5. Ecrã

Há, pelo menos, dois factores a ter em conta para a escolha do ecrã: a dimensão e a resolução.

Dimensão

Os tablets estão disponíveis em várias dimensões, desde as 7 polegadas até às 13 polegadas.

Os ecrãs de dimensões mais reduzidas, de 7 a 9 polegadas, são recomendados para usos ocasionais e para quem procura mobilidade.

Por sua vez, os ecrãs de maiores dimensões, de 10 a 13 polegadas, são mais indicados para uso exigente, intensivo e de longa duração, quer para momentos de trabalho ou lazer.

Geralmente, um ecrã de maiores dimensões implica um peso superior.

Resolução

Tal como acontece nos computadores, telemóveis e televisões, os tablets apresentam níveis de resolução distintos. As principais são as seguintes:

Designação Resolução em pixels
WVGA 800×600
WSVGA 1024×600
XGA 1024×768
WXGA 1280×800 ou 1366×768
WXGA+ 1440×900
WSXGA+ 1600×900
WUXGA 1920×1080 ou 1920×1200
QXGA 2048×1536
WQHD 2560×1440 ou 2560×1600
UHD 3180×2160

As resoluções mais elevadas, a partir da WUXGA, são indicadas para quem trabalha com imagem e vídeo, para os utilizadores que consomem muito conteúdo multimédia e ainda para os jogadores mais exigentes.

6. Autonomia

Dependendo do uso principal do tablet, a autonomia poderá ser uma característica a ter em conta.

Os estudantes, utilizadores que procuram um uso ocasional em qualquer lado e até para os amantes das leituras digitais, deverão procurar soluções com boa autonomia.

A autonomia de um tablet pode ir das 4 horas até a 14 horas. 

Conclusão: como escolher o tablet certo para mim?

Antes de se comprar um tablet, é necessário ter em conta a sua finalidade e só depois escolher as características.

A tabela seguinte sintetiza algumas sugestões de características a analisar no momento da escolha do tablet ideal.

No entanto, em alguns casos, pode ser preciso adaptar a escolha das características tendo em conta algumas opções do utilizador.

Relativamente ao sistema operativo, esta é uma escolha um pouco mais pessoal e de acordo com as preferências do utilizador.

Finalidade Processador RAM Memória Ecrã Autonomia Sugestão
Uso Ocasional e Leitura 2 ou 4 núcleos ⩾ 2GB ⩾ 16GB 7 a 10 polegadas ⩾ 8 horas Samsung Galaxy Tab A 10.1″ 2019 Wi-Fi
Trabalho 4 a 8 núcleos ⩾ 4GB ⩾ 64GB ⩾10 polegadas n/a Lenovo Tab M10v2

ou

Apple iPad Pro 11” 128GB WiFi

Estudantes e Consumo de Multimédia 4 ou 6 núcleos ⩾ 3GB ⩾ 32GB 10 polegadas ⩾ 8 horas Apple iPad 2019 10.2” 32GB
Gaming 6 ou 8 núcleos ⩾ 6GB ⩾ 128GB ⩾10 polegadas n/a Samsung Galaxy Tab S6 10.5″ Wi-Fi
André Freitas
Autor

O André anda sempre de mão dada com a tecnologia, o desporto e o gaming. Prefere iOS ao Android, e divide o seu tempo entre a família, o ginásio, onde passa horas a treinar, e os amigos. Tem ainda uma pequena paixão pelo mundo automóvel.

Comentários