Para quem quer iniciar uma aventura no mundo da fotografia sem recorrer ao smartphone, como escolher uma máquina fotográfica pode ser difícil.

Tal como referido, existem vários tipos de máquinas que se diferenciam através de múltiplas características que podem ser difíceis de compreender para quem se está a iniciar no mundo fotográfico.

Fazer a compra certa vai depender essencialmente de dois fatores: o uso que se quer dar e o orçamento disponível.

Neste guia é possível encontrar as características importantes a considerar, os diferentes tipos de câmaras, as suas vantagens e desvantagens e ainda uma breve comparação com os smartphones com melhor câmera do mercado.

Tabela de conteúdos

Tipos de máquinas fotográficas

Máquina Fotográfica Compacta Sony Cyber Shot DSC W800
Máquina Fotográfica Compacta Sony Cyber Shot DSC W800

1. Máquina fotográfica compacta

As máquinas fotográficas compactas, como o próprio nome indica, são pequenas e fáceis de transportar.

Ideais para utilizadores que procuram fotos com boa qualidade e que não têm conhecimentos avançados de fotografia porque apresentam definições e ajustes automáticos. Como tal, são uma excelente opção para os utilizadores iniciantes e que não pretendem explorar a fundo o mundo da fotografia.

Apesar de serem mais indicadas para iniciantes, neste tipo de máquinas a oferta é elevada e diferenciada. Existindo por isso máquinas para utilizadores ocasionais e outras para iniciantes que têm como objetivo de aprender e explorar o mundo fotográfico.

Assim, existe um leque de ofertas gigante e para todo o tipo de preços, onde as características variam de máquina para máquina, como por exemplo: existência de modo manual, número de megapixels, zoom, ISO, entre outras.

Vantagens e desvantagens das máquinas compactas

PROS CONTRAS
Portabilidade: leves, discretas e fáceis de transportar Não é possível trocar as lentes e os modos manuais são limitados
Simplicidade: fácil de usar devido à existência de vários modos automáticos e para diversos cenários As fotografias não são tão boas, principalmente à noite e em ambientes escuros
Preços acessíveis: as câmeras indicadas para iniciantes e utilizadores ocasionais estão disponíveis a preços bastante razoáveis Os modelos mais elaborados podem ser mais caros do que algumas máquinas mais avançadas, como por exemplo: as mirrorless e reflex
Canon PowerShot SX540 HS Black
Máquina Fotográfica Superzoom Canon PowerShot SX540 HS

2. Máquina fotográfica superzoom

As superzoom têm um visual de uma câmera profissional e oferecem uma capacidade de zoom boa, bem como a possibilidade de ajustes manuais de ISO e abertura da lente.

O corpo da câmera permite que a ótica seja explorada de uma forma idêntica às câmeras DSLR, conhecidas como Reflex, no entanto com algumas limitações: lentes fixas, aberturas limitadas, etc.

Tendo em conta estas limitações, é necessário por vezes recorrer a adaptadores para obter alguns resultados, como por exemplo para transformar uma lente normal numa lente “olho de peixe”.

O corpo destas máquinas é um pouco maior do que as compactas, pelo que não são tão fáceis de transportar discretamente.

No momento de adquirir uma máquina fotográfica, se o preço desta tipologia estiver próximo de uma câmera reflex, mesmo que de entrada de gama, a escolha deve ser bem ponderada.

Vantagens e desvantagens das câmeras superzoom

PROS CONTRAS
Zoom: oferecem uma boa capacidade de zoom Não é possível trocar as lentes
Modo manual: permite escolher as definições de ISO, abertura e foco A abertura máxima das lentes, geralmente, é limitada (F/3.5)
Corpo maior e mais pesado, como tal, são mais complicadas de transportar
Máquina Fotográfica Sony Alpha a7 II

3. Mirrorless

As câmeras mirrorless, provenientes do termo inglês “sem espelho”, não possuem um espelho posicionado à frente do sensor.

Ao contrário do que acontece nas máquinas Relex, onde o espelho é responsável por levar a luz até ao sensor de captura, neste tipo de câmera esse mecanismo não existe.

Como tal, a luz e a imagem chegam diretamente ao sensor. Este mecanismo faz com que o corpo da máquina seja mais pequeno e leve, quando comparado com o de uma DSLR (Reflex).

As câmeras Mirrorless oferecem uma excelente qualidade fotográfica e uma boa portabilidade. Estas máquinas podem ser posicionadas como sendo uma mistura entre uma máquina compacta e uma reflex.

Vantagens e desvantagens das máquinas mirrorless

PROS CONTRAS
Portabilidade: mais leves e finas do que as Reflex Duração da bateria
Permite trocar as lentes Mais lentas a processar a imagem quando comparadas com as Reflex
Visor eletrónico que disponibiliza muita informação ao utilizador e que aplica as definições diretamente na imagem reproduzida na câmera
Modo manual: permite escolher as definições de ISO, abertura e foco, tal como nas Reflex
Preços competitivos quando comparadas com as Reflex
Nikon D7200 Black + 18-105mm f/3.5-5.6G AF-S DX ED VR
Máquina Fotográfica Reflex Nikon D7200

4. Máquinas Reflex (DSLR)

As câmeras Reflex (DSLR) são as máquinas fotográficas mais indicadas para quem procura entrar no mundo da fotografia manual, de uma forma mais profissional e avançada.

Algumas destas máquinas, para além de terem um excelente desempenho em fotografia, apresentam também excelentes resultados para momentos de filmagem.

Permitem utilizar o viewfinder óptico (a pequena janela por onde se espreita para ver o que a máquina está a captar) enquanto o monitor está desligado. Isto permite ver o que a máquina está a capturar em tempo real e com um consumo de bateria reduzido.

Estas máquinas são maiores e mais pesadas do que os outros tipos de câmeras. Estas são recomendadas para utilizadores avançados e/ou uso profissional.

Vantagens e desvantagens das câmeras Reflex

PROS CONTRAS
Viewfinder óptico: permite ver o que a câmera está a ver e pode-se fazer isto com o monitor desligado para prolongar a bateria Portabilidade: mais pesadas e com maiores dimensões
Permite trocar as lentes Preços de lentes e acessórios elevados
Os modelos básicos têm preços acessíveis. Em alguns casos, há opções mais económicas do que as compactas avançadas Complexidade de manuseamento sobretudo para iniciantes
Modo manual facilmente configurável devido a existência de botões na corpo da máquina: permite escolher as definições de ISO, abertura e foco, tal como nas Reflex

Características a considerar numa máquina fotográfica

De forma a fazer a escolha acertada é essencial avaliar alguns pontos, nomeadamente, o preço da máquina (caso este seja fulcral para a aquisição) e também algumas especificações técnicas que irão permitir uma melhor experiência fotográfica.

Sensor e Megapixels

É comum que os iniciantes pensem que mais megapixels é fator imperativo para fotos com melhor qualidade. Porém, isso é um mito.

A quantidade de megapixels não significa, obrigatoriamente, uma qualidade de foto superior.

Se assim fosse, os smartphones mais recentes com câmaras com 20 ou mais megapixels iriam apresentar fotos com maior qualidade do que as máquinas fotográficas com um número de megapixels inferior.

De forma resumida, os megapixels são a resolução da fotografia e ajudam a definir a qualidade da imagem. Por outro lado, a qualidade de uma máquina é explicada essencialmente pelo seu sensor.

O sensor é avaliado pela sua dimensão. Sendo assim, regra geral, quanto maior for a dimensão do sensor, em milímetros, melhor será a qualidade da imagem porque, por exemplo, irá receber mais informações de luz.

Como tal, a qualidade das fotos no que diz respeito à luminosidade irá depender muito da dimensão e qualidade do sensor, mesmo nos ambientes mais escuros. Além disso, os sensores maiores garantem uma qualidade superior da foto nos momentos de recorte ou zoom nas imagens.

Regra geral, as máquinas compactas apresentam os sensores mais simples e as reflex sensores mais potentes e avançados.

De forma resumida, pode-se dizer que o sensor é equivalente ao motor de um carro.

Para quem procura uma máquina para soluções profissionais e com um desempenho de excelência, recomenda-se a escolha de uma máquina com um sensor grande e com, pelo menos, 20 megapixels.

ISO

O ISO é a sensibilidade do sensor à luz. Esta característica, a abertura da lente e o sensor são responsáveis por criar fotos com maior qualidade, mesmo em ambientes mais escuros.

Os valores de ISO mais altos são os que permitem obter imagens com mais luz. No entanto, optar por fotos com um ISO elevado, em alguns casos, pode significar uma imagem com ruído/granulado.

Os valores de ISO mais reduzidos são indicados para fotos com boas condições de iluminação.

Geralmente, este valor varia entre 100 e 25000. No entanto, há máquinas que apresentam valores fora deste intervalo mas, por norma, estas são indicadas para utilizadores com outro tipo de exigências.

Lente e respetiva abertura

A lente e a sua abertura são cruciais para captar e produzir fotos nítidas, mesmo em ambientes mais escuros. Quanto for maior a abertura da lente, maior será a entrada de luz.

Esta abertura permite destacar determinados planos e objetos, e é uma técnica frequentemente usada por praticamente todo o tipo de fotógrafos, mesmo os “amadores” com os smartphones. Resumidamente, a abertura da lente permite criar fotos com o fundo desfocado.

Mas, como é que sabes qual é a abertura da lente?

A abertura identifica-se recorrendo à letra “f”, juntamente com o sinal “/” e ainda um número, por exemplo, “f/22” ou “f/1.8“.

Geralmente a abertura é indicada apenas pelo número e quanto maior for o número, menor será a abertura da lente. Para alterar a abertura da lente, seja em câmaras ou mesmo em smartphones, é necessário colocar o equipamento no modo “Manual” e ajustar as definições.

Tipos de lente

Existem vários tipos de lentes (conhecidas também como objetivas) que se adequam aos diferentes tipos de fotografia.

Para os utilizadores comuns que procuram fotografar férias, festas e alguns momentos familiares, as lentes normais e mais comuns das máquinas irão ser suficientes.

Para utilizadores que procuram soluções mais avançadas, como por exemplo, lentes para fotografar animais/vida selvagem ou jogos de futebol, é recomendada a compra de uma lente adequada para o fim desejado. Como tal, esta lente poderá requerer um investimento superior pela própria lente e até pela máquina.

A capacidade de alternar entre lentes poderá ser essencial na escolha da máquina, isto porque nem todas as máquinas o permitem fazer. Se o uso que a máquina vai ter implica fotografar a diferentes distâncias sem comprometer a qualidade da foto, poder trocar a objetiva é fundamental.

A título de exemplo e curiosidade, uma lente adequada para fotografar um jogo de futebol pode custar milhares de euros.

Smartphone ou máquina fotográfica: qual a melhor escolha?

Depende. A escolha mais indicada vai depender das necessidades e objetivos de cada pessoa.

Antes da escolha da máquina fotográfica, deve-se questionar se valerá a pena transportar mais um objeto mesmo sendo ele compacto, qual o tipo de uso que terá, se será esporádico ou recorrente. Ou até mesmo se vale a pena substituir o atual smartphone e adquirir um com câmara mais eficiente.

Para utilizadores comuns que procuram tirar fotos com qualidade bastante satisfatória em momentos esporádicos, mas não querem gastar dinheiro num equipamento que não vai ser usado frequentemente, o smartphone pode ser a solução ideal.

O smartphone está e vai contigo para todo o lado. Aliás, muitos deles já são à prova de água, são fáceis de transportar e apresentam valores de autonomia satisfatórios.

Se este é o caso, existem várias opções que conseguirão dar resposta ao que se pretende, uma vez que já existem smartphones com qualidade equivalente a algumas máquinas fotográficas.

Em contrapartida, para quem está à procura de uma solução mais consistente e que ofereça um excelente desempenho nas mais diversas situações, a máquina fotográfica é a escolha mais acertada.

É verdade que as câmeras dos smartphones têm evoluído a passos largos e, cada vez mais, oferecem fotos com elevada qualidade. No entanto, ainda não possuem sensores tão potentes quanto as máquinas fotográficas.

Para além dos sensores, também há outras características a ter em consideração, tais como: capacidade de adicionar objetivas (das mais simples às mais potentes), valores de ISO, trocar lentes, entre outras.

Para iniciar no mundo da fotografia com um compromisso maior, basta apenas considerar a compra de uma máquina fotográfica mediante o orçamento disponível e características mais valorizadas.

Conclusão

Como seria de esperar, à medida que se vai subindo na gama das máquinas fotográficas, os preços também vão sendo diferentes e vão subindo.

No entanto, há circunstâncias em que os modelos topos de gama de um tipo de máquina são mais caros do que os modelos de entrada de gama do outro tipo.

Quando isso acontecer, recomendamos que se considere e analise com calma para fazer a melhor escolha. Isto porque, por vezes, os modelos de entrada de gama de um tipo de máquinas podem ser melhores do que os modelos topos de gama de outro tipo.

Nestas situações o ideal é pensar no orçamento, considerar o uso que se irá dar à máquina e nos resultados que se espera obter.

André Freitas
Autor

O André anda sempre de mão dada com a tecnologia, o desporto e o gaming. Prefere iOS ao Android, e divide o seu tempo entre a família, o ginásio, onde passa horas a treinar, e os amigos. Tem ainda uma pequena paixão pelo mundo automóvel.

Comentários