Saber como escolher a melhor sapatilha de corrida para cada tipo de passada pode parecer tarefa fácil. No entanto, para garantir segurança na prática desportiva, este equipamento deve ser escolhido para além da beleza, marca ou cor.

Por isso, aqui ficam algumas sugestões para quem procura saber como escolher uma sapatilha de corrida para praticar desporto fora do ginásio.

Quando devo comprar novas sapatilhas de corrida?

Em primeiro lugar, as sapatilhas de corrida têm, basicamente, duas funções: proteção dos pés e ajudar no desenvolvimento do atleta.

Em média, este tipo de calçado tem uma durabilidade de 800 a 1200 quilómetros, isto significa que, para quem corre todos os dias, as irão durar cerca de um ano.

No entanto, esta regra nem sempre é válida, até porque grande parte das pessoas tem mais do que um par de sapatilhas para a prática desportiva, o que prolonga o tempo de vida das mesmas.

Quais as características importantes para escolher sapatilhas de corrida?

1. Sistema de amortecimento

A eficiência do sistema de amortecimento, é essencial para quem está exposto a impactos no decorrer da atividade desportiva, como é o caso dos praticantes de corrida.

Deste modo, adquirir sapatilhas com sistema de amortecimento é importante para ajudar a absorção de impactos, proteção dos pés e evitar problemas nas articulações.

2. Flexibilidade na parte frontal da sola

Outro fator a ter em consideração, no momento de escolher uma sapatilha, é a flexibilidade na parte frontal da sola.

As sapatilhas mais flexíveis melhoram a aderência, aumentam a sensibilidade e garantem conforto durante a corrida.

3. Tipos de passada

Para além das especificações técnicas de cada sapatilha de corrida, a escolha deve ser feita de acordo com o tipo de passada de cada pessoa, que pode ser:

Passada neutra

Caracteriza-se pelo apoio uniforme do pé no contato com o solo, não possuindo desvios nem para dentro e nem para fora.

Para identificar este tipo de passada, basta analisar se o desgaste das sapatilhas, já utilizadas, são uniformes.

Para quem tem passada neutra, aconselhamos a compra de sapatilhas de corrida neutra, que proporcionam maior estabilidade.

Passada supinadora

A passada supinada é aquela em que o atleta utiliza a parte externa do pé, e principalmente a área do dedo mindinho para se impulsionar. Possui um arco do pé acentuado, que fica evidente no teste do pé molhado, pois a ligação entre o calcanhar e a ponta do pé é muito fina ou quase não se tocam.

Para identificar este tipo de passada, basta analisar se o desgaste da sapatilha acontece na parte de fora da sola.

Esse tipo de passada possui pouca ou nenhuma flexibilidade, por isso, tem baixa eficiência natural de absorção de impactos.

Para pessoas com este tipo de passada, a compra de sapatilhas deve passar por opções mais flexíveis e que têm alto grau de amortecimento, pois induzem o pé ao movimento de pronação.

Passada pronadora

Esta é aquela em que o atleta utiliza a ponta dos pés, principalmente o dedo grande do pé, para se impulsionar.

Assim, a planta do pé aparece com arco pequeno ou inexistente pois o pé tende a achatar em cada passada.

Para identificar este tipo de passada, basta analisar se o desgaste da sapatilha acontece na parte interna da sola.

O tipo de sapatilha adequada para corredores com este tipo de passada, é aquela que garante maior controlo de movimento, combinando estabilidade e amortecimento para evitar pronação excessiva.

atleta a correr na estrada
Imagem: freepik

14 dicas para a compra de novas sapatilhas de corrida

  1. A sapatilha de maior valor, pode não ser a melhor opção;
  2. O tamanho das sapatilhas varia de acordo com a marca e o modelo. Por isso, ver o guia de tamanhos, na ficha de produto da sapatilha, é importante;
  3. A ponta do dedo nunca deve encostar na ponta deste calçado, pois essa parte não cede. O ideal é que, entre a ponta e o dedo, exista uma distância entre 1 e 1,4 cm (similar a um dedo);
  4. Por norma, o número das sapatilhas de corrida deve ser um ou dois tamanhos acima de um par de sapatilhas de passeio, por exemplo;
  5. As costuras da sapatilha não devem apertar ou ficar em cima de zonas que sofram muito atrito durante as passadas;
  6. Para evitar bolhas, deve-se verificar se a sapatilha é macia e confortável;
  7. A sola não deve ser alta pois desestabiliza o corpo, nem ter molas muito largas ou separadas, uma vez que deixam os pés instáveis, podendo gerar lesões nos pés, joelhos e tendões;
  8. Verificar a altura da sapatilha, na lateral do pé, é importante que o tornozelo esteja de fora;
  9. Optar por compra sapatilhas mais leves, pois não prejudicam os músculos nem as articulações;
  10. Existem sapatilhas para competições que são, por norma, muito leves, mas essa leveza sacrifica o amortecimento, não sendo aconselhadas para corredores mais altos e pesados.
  11. Experimentar as sapatilhas ao fim da tarde, pois à noite os pés tendem a ficar mais inchados. O mesmo acontece quando corres.
  12. Com as sapatilhas nos pés, movimentar os dedos e sentir se tens espaço suficiente. Levanta e baixa o dedo grande no processo;
  13. Validar o conforto das sapatilhas. Relaxar os pés e tentar sentir como a curvatura deles se encaixam no calçado ajuda a isso mesmo. É também importante lembrar que os pés não podem ficar nem muito esticados e nem muito encolhidos dentro da sapatilha.
  14. Depois de uma corrida, o amortecimento da sapatilha fica comprimida e deformada. Para voltar ao normal, ela precisa de 24 horas sem uso. Se é hábito correr todos os dias, optar por comprar um segundo par, e ir trocando, pode ser solução.

Resumo

A escolha de uma sapatilha de corrida depende de múltiplos fatores, nomeadamente qual o tipo de utilização que esta terá e qual o tipo de impacto do desporto praticado.

Porém, no caso do calçado desportivo para corrida, o segredo está na flexibilidade e amortecimento da sapatilha, no tipo de passada do atleta e ainda em seguir algumas das dicas acima mencionadas.

Comentários