O Fenómeno K-Pop: Da Coreia para o Mundo

O Fenómeno K-Pop: Da Coreia para o Mundo

Provavelmente já todos tivemos a nossa dose de K-Pop com “Gangnam Style” que pensávamos ser mais um asiático, talvez chinês, que tinha invadido o panorama musical de 2012, mas que nunca mais iríamos ouvir falar. De facto, nunca mais o Psy teve um sucesso tão grande, porém, ele suscitou o interesse entre algumas pessoas para o  Kpop. Neste momento já toda a gente deve ter ouvido falar deste termo associado ao nome BTS, o boy group do momento, que está tornar este género musical mais popular.

 

Origem 

O K-Pop é um género musical originário da Coreia de Sul que teve o seu início nos anos 90 com o grupo Seo Taiji and Boys.

Consequentemente, Lee Soo Man fundou a primeira agência K-Pop, SM Entertainment que até hoje continua a ser uma das mais influentes no meio. A par com a YG Entertainment também criada no mesmo espaço temporal por um dos membros de Seo Taiji and Boys.

Durante os primeiros anos de K-Pop estrearam-se muitos grupos agora considerados lendas neste mundo como os H.O.T, SES e Shinhwa.

 

Como se foi transformando

Durante os anos 2000 começou a Hallyu Wave que se refere ao crescimento global da cultura de entretenimento coreana. Neste período de tempo o K-Pop teve um enorme crescimento na Ásia, principalmente no Japão, graças a artistas como Boa e TVXQ. Este sucesso continuou com o debut de grupos de segunda geração como Super Junior, Girl’s Generation, Big Bang, 2NE1, SHINee e muitos mais.

Em 2008 os dramas e os videojogos vieram adicionar valor às exportações de entretenimento coreano para o resto do mundo. Contudo, em 2012 deu-se o grande fenómeno de “Gangnam Style” que ajudou a espalhar a onda coreana por todo o mundo.

 

Presente

Actualmente o K-Pop tem vindo a ganhar uma dimensão substancial e tem cativado os mercados ocidentais. Evoluiu de ser apenas um género musical para haver toda uma cultura em volta do mesmo e consequentemente aumentando o interesse pela cultura, costumes e língua da Coreia do Sul.

Os grandes grupos do momento são BTS, Blackpink, Exo, NCT, Twice, SuperM, entre muitos outros. Sendo que o grande fenómeno são claramente os BTS com milhões de visualizações no Youtube e músicas líderes nas listas da Billboard. Para consolidar ainda mais a popularidade deste grupo foram os primeiros a ter linhas de figuras criadas pela Mattel e Funko dos sete membros: RM, Jin, Suga, J-Hope, Jimin, V e Jungkook.

No entanto, a Coreia do Sul já não é reconhecida apenas pelo entretenimento, mas também a cosmética e cuidados de pele. Esta indústria tem a filosofia de que “toda a gente deveria de ter acesso a uma pele saudável”.

Assim, também esta parte da cultura coreana tem ganho muita popularidade nos últimos anos, sendo que as marcas mais conhecidas são COSRX, Klairs, Missha, Innisfree e muitas mais.

Em suma, o K-Pop veio abrir as portas para que a cultura da Coreia do Sul fosse descoberta e apreciada.

7 Presentes para o Amigo Secreto

7 Presentes para o Amigo Secreto

Chegou aquela altura dos jantares de Natal de empresa ou amigos e ficas sem ideias para o teu amigo secreto. Pois bem, no artigo de hoje apresentamos-te 7 opções de presentes para o amigo secreto a um bom preço! Acompanha a nossa lista e escolhe já a prenda ideal.

 

Jenga – Jogo de Mesa 

Para os quem gostam de jogos divertidos em qualquer lugar o clássico Jenga é incrível! Retira os blocos de madeira da torre, mas cuidado, não derrubes a torre ou perdes!

Caneca 3D Star Wars Darth Vader

Os geeks do grupo vão adorar beber o seu café na nova caneca do Darth Vader!

Meias Antiderrapantes Natalícias

As clássicas meias quentinhas nunca comprometem! Já é um verdadeiro clássico e estas bem Natalícias vão deixar qualquer um invadido pelo espírito.

Estojo de 2 Miniaturas Licor Beirão 5cl + 2 Copos Shot

Com este estojo vais ter um momento de partilha único, com um brinde a dois! As miniaturas e os copos vêm cuidadosamente embalados e o estojo está preparado para que nele escrevas uma dedicatória.

Power Bank MojiPower 2600mAh Emoji Brown Poop

Para aquele amigo que te está sempre a pedir emprestado a tua power bank temos o presente ideal. Uma power bank nova e bem divertida para que nunca fique desconectado das redes sociais!

Calendário do Advento 25 Pirâmides English Tea Shop

Os amantes de chá vão poder saborear um novo sabor todos os dias de uma forma especial e embrulhada em formato de um elegante livro. Este calendário de advento vai fazer sentir o aconchego de um chá diferente a cada dia.

 

Coluna Portátil Bluetooth CoolJazz Coolbox

Para os amantes da música, esta coluna portátil vai acompanhar para qualquer lado!

 

DJI Mavic Mini o Lançamento aguardado

DJI Mavic Mini o Lançamento aguardado

O DJI Mavic Mini chega finalmente dia 11/11/2019, já se encontra em pré-venda, depois de meses de especulação e fugas de informação, está finalmente aqui o novo produto da DJI.

A DJI andou calma, em termos de drones, em 2019 porém com este lançamento vem agitar as águas. Ao invés de reinventar o seu anterior modelo para principiantes: o DJI Spark, resolveram começar do zero e construir um novo equipamento.

Mavic mini

Com um novo design que se adequa ao seu nome pois assemelhasse ao Mavic em ponto pequeno. O Mavic Mini tem a vantagem de vir listado com peso abaixo dos 250 gr que significa que não tem que ser registado na ANAC como os produtos de peso superior, que são obrigados a fazê-lo.

As especificações do DJI Mavic Mini

O MDJI Mavic Mini não grava 4k mas sim 2.7K. Na sua resolução máxima, 2.7K, consegue gravar a 30fps enquanto a 1080p consegue gravar a 60fps. Isto limita um pouco a vida a quem precisa de um produto que grave a 4K. Também tem a capacidade de fotografar com 12MP. A câmara assenta num Gimbal de 3 eixos.

Mavic mini câmara 2.7K

Chega com a promessa de uma maior longevidade da bateria que promete até 30m de voo.

Sendo um produto de entrada a falta de ActiveTrack é natural, por isso não contem com a capacidade de seguir pessoas ou objectos.

Podem sim contar com GPS e a função Return to Home. Já o comando requer um smart+hone acopulado e oferece vídeo em HD até 2km.

Mais a ter em conta

Na traseira podemos encontrar expostas as entradas de USB e do microSD, a ser lançado nesta altura estranhamos um pouco não ser uma porta USB-C ainda assim está bastante completo nas ligações e não é um problema.

Também inclui 4 LEDs indicadores de bateria, funcionam com código de cores de forma a ter uma noção precisa da disponibilidade de bateria durante o voo. Tem sensores para evitar objectos na base, estes servem apenas de apoio, não tem, como modelos mais caros, sensores dos lados à frente e atrás de forma a evitar obstáculos em outras situações.

O comando

Apesar de precisar de um smartphone não funciona apenas com este, é necessário o uso do comando. Este é em si um aparelho interessante, tem uma bateria de 2600mAh e Lightning, micro USB e USB-C que complementa perfeitamente a conectividade do drone de forma eficaz. A app é muito amigável para principiantes e fácil de instalar.

Peso pluma

Conclusão

Vão ser lançados dois pacotes o mais barato com o comando, bateria e drone com respectivos cabos e carregador. Enquanto o segundo pack tem 3 baterias, carregador de 3 baterias e protecções de voo que são importantes para quem está agora a começar.

Vantagens                            Contras

• É o produto mais barato da DJI                              • Não tem 4K

• Estabilização 3 eixos da câmara                            • Não grava a 60fps a 2.7K

• Peso abaixo de 250gr                                            • Não tem detecção de objectos além da aterragem

• Compacto

• Quickshot

• Duração da bateria

 

 

Com a chegada do DJI Mavic Mini a gama da DJI fica mais completa, a marca conta já com os seus modelos:

Mavic 2 Pro e Mavic 2 Zoom

Mavic Air

Mavic Pro

Em meados de Novembro vai ser finalmente possível voar com o DJI Mavic Mini e podem passar no KuantoKusta para ver onde podem comprar ao melhor preço.

Veja a nossa seleção de drones a menos de 700€

Halloween – Como surge este dia cheio de terrores

Halloween – Como surge este dia cheio de terrores

A famosa noite de Halloween, é conhecida como noite das bruxas e associada com os mortos e assombrações. Porém a realidade é que esta celebração surge de alguns milénios de tradição de vários povos que se vão mesclando ao longo dos séculos de forma a termos hoje a festa jovial que conhecemos.

Nós no KuantoKusta vamos celebrar efusivamente com tudo a que temos direito. Por isso fizemos uma seleção de artigos para esta data mas entretanto vamos perceber como surge o Halloween.

Origem

Embora hoje associemos o Halloween à festa americana esta não é no entanto a sua origem. Na verdade esta história remonta à 2.000 anos atrás à celebrações dos Celtas, que viviam na Grã-Bretanha especialmente nos territórios hoje associados à Irlanda.

Estes povos Celtas celebravam o ano novo a 1 de Novembro, encerravam o Verão e celebravam o fim das colheitas ao tempo que se preparavam para o frio do Inverno.

Samhain

Nesta altura associar o Inverno com a morte era muito fácil pois esta era uma presença muito palpável nestas comunidades quando chegava o frio e a comida escasseava. Assim, os Celtas comemoravam na véspera do ano novo o Samhain.

Este povo acreditava que nesta noite em particular a barreira entre o mundo dos vivos e o mundo dos mortos ficava mais ténue, acreditavam que nesta noite os mortos voltavam à terra.

Apesar de considerarem que estes espíritos podiam ser prejudiciais para as colheitas e afins ao mesmo tempo tinham a crença que esta proximidade com os espíritos permitia aos Druidas dos Celtas fazer previsões de futuro, e outras superstições às quais era fácil nesta altura sucumbirem.

As celebrações eram feitas em torno de grandes fogos sagrados junto aos quais se juntava toda a tribo.Nesta altura usavam disfarces, essencialmente peles e cabeças de animais(hoje em dia somos mais sofisticados).

Abóbora perdida

Na realidade há mais a dizer quanto a este festival mas é só isto que precisamos para fundamentar a evolução do Halloween.

Como se foi transformando

Mais tarde, em 43 DC, o império Romano conquista toda a região e aqui reinou 4 séculos. Num acto de assimilação da cultura conquistada os romanos implementaram dois festivais na data do Samhain: O primeiro era o Feralia em que celebravam aqueles que já haviam partido e o segundo era o dia para honrar Pomona, deusa da fruta e das árvores. O símbolo de Pomona era a maçã que assim se viu incorporada nas tradições.

A influência e conversão pelo Cristianismo

Entretanto Roma foi sendo tomada pelo cristianismo e tornou-se inclusive a capital desta religião, Assim em 609 DC o Papa Bonifácio IV estabelece o dia de todos os mártires em 13 de Maio e mais tarde o Papa Gregório III, indignado por ainda se comemorar o Samhain em diversos locais mesmo depois de tanto tempo, expande o dia de todos os mártires adicionando todos os santos e mudando a data para 1 de Novembro.

Noite em que os espíritos vagueiam pela terra

Mais tarde em 1000 DC foi criado o dia dos fiéis defuntos que celebrava os mortos muito à semelhança da celebração Celta e assim se fazia o processo de assimilação dos costumes pagãos muito embora muitos dos rituais e cerimónias tenham sido incorporados nas celebrações cristãs.

Como chega o actual Halloween

A palavra deriva do Inglês Arcaico Alholowmesse que se transforma em All-Hallows e depois All-Hallows Eve que eventualmente se torna no nosso conhecido Halloween.

Foi com a chegada à América que esta celebração começou a tomar a forma que hoje conhecemos. Levada para o novo continente pelos colonos europeus foi-se mesclando com os rituais indígenas e com os rituais de outros povos oriundos da Europa.

Continuou a ser uma festa que celebrava o fim das colheitas e continuou a ser uma festa que se relacionava com os mortos. Juntavam-se em praça pública para celebrar contanto histórias do mortos e fazendo partidas.

Com tempo os americanos fizeram evoluir estas celebrações para o que conhecemos hoje, algo que sai do âmbito da praça e passa para os bairros e casas, ainda assim as tradições firmaram-se com força e o famoso “trick-or-treat” passou a ser lugar comum e é hoje a loucura dos doces, aqui em Portugal começa a ter algum impacto mas é nos EUA que atinge números inauditos com cerca de 1/4 dos doces vendidos em todo ano, são vendidos nesta altura.

Doçura ou Travessura!?

Seja qual for a sua tradição, não são só as crianças que gostam de doces vão e celebrem com os mortos e monstros nesta noite que o dia a seguir é feriado!

As novidades da Apple, iPhones e tudo mais

As novidades da Apple, iPhones e tudo mais

O grande evento da Apple aconteceu no dia 10 de Setembro e já todos sabemos quais foram as grandes novidades da marca! O foco claro não poderia deixar de ir para os novos iPhones 11, iPhones Pro e  iPhones Pro Max. Outras novidades foram o novo Apple Watch Series 5 e ainda um novo iPad.

Continua a ler para saber mais sobre todas estas novidades!

Apple iPhone 11 

A empresa de Cupertino aproveitou para mudar radicalmente o seu idevice e este ano o foco foram as câmaras, a fotografia e o vídeo. O iPhone 11 conta com 2 câmaras, com especificações 12 MP wide, 26mm f/1.8 + ultra wide 12 MP f/2.4 que prometem elevar ao mais alto nível a qualidade fotografia. A câmara frontal, recebeu uma TrueDepth grande angular que capta mais pessoas na foto, para além de um Face ID mais rápido — boa actualização!

 

 

A fotografia sem luz também foi melhorada e agora conseguimos captar imagens no escuro. Agora que foi disponibilizado, esta promete ser uma funcionalidade a melhorar a cada novo iPhone. Está disponível em quatro cores diferentes (verde, cinzento, prateado e dourado) e com uma capacidade de armazenamento de 64GB, 256GB e 512GB.

 

Apple iPhone 11 Pro e Pro Max

Estes dois novos smartphones, iPhone11 Pro e Pro Max, são o “maquinão”! O nome Pro não é por acaso, este equipamento conta com várias e grandes novidades como um sistema de câmara tripla com 12 MP cada uma, um aumento considerável da sua autonomia e um processador A13 Bionic!

 

Podem encontrá-lo em dois tamanhos 6.5” (iPhone 11 Pro Max) ou 5,8” (iPhone 11 Pro) e em quatro cores diferentes (verde, cinzento, prateado e dourado). Não esquecendo claro da capacidade de armazenamento de 64GB, 256GB e 512GB.

 

 

Apple Watch Series 5

O relógio da maçã é um dos smartwatches mais vendidos no mundo. O design não mudou face ao do ano passado, no entanto, a versão deste ano traz a novidade de ser capaz de estar sempre ligado, com vários níveis de energia — a parte útil é deixar de ser necessário aquele movimento de rodar o pulso para o ativar.

iPad

A Apple decidiu refrescar a sua proposta das linhas de entrada. Desse modo, o novo iPad recebeu muitas das novidades que os modelos Pro já têm, mas o destaque é o novo ecrã de 10,2 polegadas. Há ainda o SoC A10 Fusion, que a Apple garante ser muito rápido juntando ao novo sistema operativo iPadOS.

A melhores SmartBand e sua utilização 2019

A melhores SmartBand e sua utilização 2019

SmartBand ou SmartWatch?

A primeira questão que pode levantar logo de início é, qual a grande diferença de uma Smartband para um Smartwatch.

SmartBand ou SmartWatch

A primeira grande diferença é que o Smartwatch (dispositivo wearable) “é quase” o seu Smartphone no seu pulso, com várias limitações logicamente. Mas com um Smartwatch consegue facilmente ler emails e responder aos mesmos, consegue usar Apps como o Whatsapp, Facebook e Instagram e até alguns jogos. Vem também com a “maioria” das funcionalidades que uma Smartband tem.

De uma forma clara o Smartwatch tenta diminuir a utilização do telemóvel de forma exagerada em funções simples que realiza no seu dia a dia. Também podemos considerar que é um acessório de moda como qualquer outro relógio devido aos seus designs diferenciadores.

A Smartband por sua vez é um dispositivo wearable que é muito focado para pessoas que têm um grande gosto por um estilo de vida saudável, que gostam de praticar atividades físicas regularmente, e controlar a sua performance e indicadores vitais. Em suma as Smartbands são mais limitadas na quantidade de tarefas que pode realizar directamente no acessório.

SmartBand ou SmartWatch

O Smartwatch tenta de forma clara (como referido anteriormente) substituir as funcionalidades do seu telemóvel, este por sua vez vai consumir muito mais bateria. Uma Smartband de média qualidade pode ter autonomia para mais de 15 a 20 dias em alguns casos, um Smartwatch nunca terá esse tipo de autonomia. E se quer um acessório leve, que possa levar para as suas atividades físicas diárias sem estar preocupado com consumos de bateria a Smartband será sempre a sua primeira escolha.

A observação final que podemos fazer relativamente a se a Smartband é um produto melhor que um Smartwatch é a seguinte…. depende de quanto está disposto(a) a investir. É a realidade mas se formos por pura lógica de investimento necessário versus quantidade de funcionalidades que cada um destes wearables tem, aconselhamos vivamente a investir numa Smartband e explicamos o porquê nos próximos tópicos deste artigo.

Principais funcionalidades

Se está a pensar em comprar uma Smartband, uma das funcionalidades mais usadas é a definição de vibrações especificas para diferentes aplicações. Exemplo simples desta funcionalidade é poder definir uma vibração quando recebe uma notificação de mensagens do Facebook para as notificações relacionadas com as suas aplicações de fitness.

Relativamente aos sensores que vêm com estes wearables, difere de marca para marca e quanto está disposto a investir:

Em geral todas as Smartband vêm com as seguintes características:

  • Sensores Movimento
  • Sensores Batimento cardíaco
  • Sensor de Sp02 (relacionado com a oxigenação do sangue)
  • Detecção de doenças durante o sono (ex: apneia do sono)
  • Métricas de controlo de calorias, passos e horas de sono
  • Monitorização entre 7 a 10 actividades físicas em média

Ainda temos Smartbands como a Mi Smart Band da Xiaomi que lhe dá a possibilidade de controlar as músicas do seu Spotify quando está a fazer os seus exercícios físicos.

Dicas para utilização eficiente

1: Uma das formas para conseguir poupar bateria, é apenas configurar vibrações simples e “curtas” para as suas aplicações.

2: Não crie alarmes desnecessários se nem têm relevância para o seu dia a dia.

3: Bloquear todas as notificações que não lhe sejam úteis dos milhares de aplicações que tem no seu smartphone. Esta é a mais eficiente de todas as dicas, visto que as notificações como por exemplo, das suas redes sociais (Facebook, Whatsapp, etc…) são dos principais responsáveis pelo descarregamento das baterias das Smartbands.

Se já está convencido(a) que este é o tipo de acessório certo para si aqui ficam alguns links para estes produtos fantásticos.

XIAOMI SMARTBAND MI BAND 4 FITNES

HUAWEI SMARTBAND HONOR 4

HUAWEI SMARTBAND 3

XIAOMI SMARTBAND 1S MI LIGHT-SENSITIVE VERSION

XIAOMI SMARTBAND MI BAND 3 FITNESS

 

Este artigo foi redigido pela Lmobile e editado pelo Kuanto Kusta