Fica em Casa – O dia a dia

Fica em Casa – O dia a dia

Fica em Casa – O dia a dia. Vivemos tempos peculiares em que quem fica em casa está a contribuir activamente para a sociedade. Apesar de ser difícil para muitos de nós, há todo um mundo por descobrir em casa. No nosso dia a dia normal estamos tão envolvidos com ao trabalho, filhos e outros que por vezes a nossa casa passa para segundo plano.

As tarefas que nunca faço.

Há sempre aquela parede que há tanto tempo espera uma nova camada de tinta para se sentir como nova. Não aconselhamos a pintar casa-de-banho que possa vir a ser necessária ou divisões que podem ser necessárias em caso de emergência.

Ainda assim é uma boa oportunidade de pintar aos poucos as divisões da casa, com tempo e as ferramentas certas podemos dar uma nova vida à nossa casa. E se queremos pensar fora da caixa podemos sem dúvida ser criativos, vejam a foto 1, com um cordel enrolado à volta  do rolo de pintura é fácil criar um a textura diferente.

Para quem quer ir mais longe, com uma impressora 3D é possível criar stencils que enrolamos à volta do rolo para criar os mais diferentes tipos de textura. Como podem ver nas fotos é criar coisas verdadeiramente notáveis está ao alcance de quem tenha este tipo de impressora em casa.

E se tiver uma impressora 3D pode colaborar para o esforço contra o vírus produzindo máscaras que podem ser doadas aos serviços que tem que estar na frente de combate.

E se pintar não é a tua praia, não tem problema.

O papel de parede está de novo na moda e é mais uma vez uma alternativa decorativa que cada vez tem mais procura. Estes produtos são de aplicação fácil e com uma imensa panóplia de decorações possíveis. Dos padrões simples, a texturas complexas e até mesmo paisagens completas, a variedade é deveras impressionante. Esta pode ser uma forma prática de decorar várias divisões da casa personalizando um espaço de forma distinta.

Quando se fartarem!? Espreitem aqui.

O exterior dentro de casa

Muito bem já estás farto de arranjar a casa!? Vamos lá para fora.

Se há algo que os portugueses estão aos poucos a redescobrir, é o exterior das suas casas. Aqueles que tem vivendas com jardins estão sem dúvida com a vantagem de poder usufruir de uma vida ao ar livre mas mesmo a maioria que vive em apartamentos está agora a descobrir agora como valorizar uma varanda e afins.

E pode bem aproveitar para uns upgrades nesta área, temos assistido a um grande crescimento de hortas urbanas. Consoante o espaço disponível, há soluções para produzir algo numa varanda, dentro de casa e até mesmo alguns sistemas engenhosos que permitem ter jardim de ervas aromáticas mesmo dentro de casa. Há muito por onde escolher, é preciso pensar bem no que queremos e adaptar.

Para quem vive em apartamento é importante ter atenção ao peso que coloca em vasos, pois vasos cheios de terra implicam muito peso e como tal convém verificar se a placa aguenta o aumento de peso colocado.

Para quem quer soluções diferentes e personalizadas é uma boa altura de comprar madeira e ferramentas adequadas. Fica em Casa e transforma o teu lar.

Mas eu só quero relaxar

Também é uma excelente opção, é uma excelente ocasião para colocar uma mesa e umas cadeiras na varanda, preparar umas bebidas e chamar esplanada à área escolhida. Esta também pode ser a oportunidade de conhecer aquele vizinho que nunca viram quando decide fazer exactamente o mesmo que estão a fazer em casa. Acenar a alguém que nunca vimos mas que sempre esteve lá vai ser apanágio destas novas vivências na varanda.

E para quem tem uma varanda mais espaçosa ou mesmo um jardim, relaxem e apostem antes numa espreguiçadeira.

A moral da história

Fica em casa, não há problema porque há um mundo para descobrir aqui mesmo sem precisares de sair e se precisares de comprar alguma coisa está cá o ecommerce. Fiquem seguros

Home Office – E agora! Como fazer

Home Office – E agora! Como fazer

Home Office tornou-se neste momento uma prioridade. Embora a causa seja infeliz na verdade é uma boa altura para aprender como trabalhar em casa de forma eficiente.

À partida pode não parecer algo difícil porém oferece desafios que devem ser tomados em conta e superados de forma a se tornar uma experiência positiva.

Mesmo estando em casa é de vital importância que continuemos produtivos e que haja uma garantia que o trabalho fica feito. É importante manter a motivação e foco quando não está ninguém por perto.

Boas práticas para o melhor Home Office

1 – Definir o local de trabalho: Deve definir o espaço onde vai trabalhar diariamente. Este espaço deve ser liberto de tudo o que não é importante para o trabalho e estar bem iluminado. Tenha o local confortável e tente trabalhar sempre a partir deste local.

2 – Ter um horário de trabalho, é um aspecto importante, quando em casa, marcar horas em que vai trabalhar e cumprir as mesmas. É importante tanto como disciplina para executar as suas funções como também para não deixar que o trabalho se intrometa na vida pessoal.

É um aspecto muito importante pois é muito fácil deixar trabalho e vida pessoal misturar com consequências para ambos.

É importante definir o horário de trabalho

3 – Tendo um horário planeado agora é importante estruturar o dia de trabalho. Quando não temos colegas e chefes que nos obrigam a ter as tarefas executadas a tempo e horas é prioritário estabelecer diariamente uma lista de tarefas e executar de acordo com a mesma. É muito fácil em casa o foco perder-se para uma qualquer tarefa doméstica ou telefone que toca. Certifique-se que o faz apenas depois da “hora de expediente”

4 – Marque as horas de refeição e cumpra. Não costuma ser benéfico trabalhar até ter fome e depois comer qualquer coisa porque já não estamos em horário de refeição. As refeições são importante e convém manter uma rotina para as mesmas.

5 – Gerir as expectativas familiares. É de extrema importância que filhos, conjugue, familiar ou amigo que vive na mesma casa, percebam claramente que nas horas de trabalho está a trabalhar. Idealmente consegue ter o seu espaço numa divisão separada. Não sendo possível deverá arranjar algum tipo de separação.

Deve ser claro para toda a gente que durante as horas de trabalho não deve ser interrompido tal como se estivesse no escritório. Este será sem dúvida um dos maiores desafios para quem vive com mais pessoas especialmente com crianças. Não descure este aspecto.

Evitar as distracções

6 – Pijama não é uma boa solução, para que trabalha em Home Office é importante ter rotinas que se equiparam a um dia a dia no trabalho, vista-se, tenha preocupação com o seu cuidado pessoal e faça isto todos os dias, afinal vai trabalhar.

7 – Faça pausas, levante-se estique as pernas vá tomar um café. A melhor maneira é ter as pausas planeadas como o resto do dia, assim garante que não excede o tempo que devia alocar a isto e por outro lado garante que tem uma dose saudável de paragens.

Montar um bom Home Office

Ah e tal e agora vou trabalhar em casa!

Actualmente as ferramentas tecnológicas permitem trabalhar em casa mesmo quando pertencemos a uma equipa que costuma trabalhar em conjunto. O software de comunicação e de controlo de fluxo de trabalho evoluiu imenso no passado recente e neste altura é absolutamente normal um fluxo de trabalho de uma equipa que trabalha em Home Office, tanto para quem gere como para quem tem que apresentar tarefas feitas.

Equipamento adequado é importante

Porém temos que ter em conta se temos as condições indicadas em casa. Se não temos uma ligação à net de qualidade e local de trabalho em casa nada disto nos vale.

Para além de uma boa ligação temos que assegurar que temos um computador capaz para o trabalho a executar, para alguns isso significa um Portátil para outros um potente Desktop. Manter o conforto é essencial e por isso garante que tens uma cadeira confortável (ergonômica de preferência) e uma secretária adequada.  É também importante rodearmos-nos que coisas que nos inspirem para alguns será um Funko Pop para outros será uma planta.

É importante não exagerar!

Para aqueles que precisam de trabalhar muito tempo com muitos dados no ecrã ou com tarefas de design pode ser conveniente um segundo monitor.

Quem tem necessidade de documentos impressos convém garantir que tem uma impressora adequada e garantir que tem os consumíveis necessários para a executar as suas tarefas.

Enfim é preciso garantir que estão asseguradas as condições para o trabalho decorrer na normalidade e isso hoje em dia é mais fácil do que nunca, requer disciplina e dedicação mas quando bem feito vale a pena.

 

 

 

Cadeiras Auto – tecnologias de Segurança e grupos de idade

Cadeiras Auto – tecnologias de Segurança e grupos de idade

Cadeiras Auto que tecnologias de Segurança preciso? Qual o grupo que escolho!?

Vivemos numa época em que damos especial atenção à segurança especialmente à segurança dos nossos filhos. Porém com tanta oferta novas tecnologias e tudo mais que os novos pais tem que aprender torna-se complicado.

Por isso decidimos fazer um pequeno artigo que visa simplificar a vida a quem vai agora procurar uma cadeirinha para bebé/crianças.

Nos últimos anos temos assistido a um boom de novas tecnologias e normas que visam aumentar a segurança dos mais pequenos. O que acontece é que fica cada vez mais complicado para os novos pais perceberem o que devem comprar.

Antes de mais vamos ver que cadeira comprar de acordo com idades e necessidades e em seguida vamos explicar coisas como isofix e i-Size.

Diferentes Grupos de cadeiras auto

Classificação de grupos

É vulgar ver no nome de uma cadeirinha de bebé algo como 0+, esta é a designação de grupo que vai corresponder a uma certa idade, peso e medida. Abaixo podem ver todos os grupos.

 

Grupo 0+ – Do nascimento aos 15 meses (40cm a 75cm)

Grupo 0+/1 – Do nascimento aos 4 anos (40cm a 105cm)

Grupo 1 – De 1 ano aos 4 anos (70cm a 105cm)

Grupo 1/2/3 – De 1 ano aos 12 anos (70cm a 150cm)

Grupo 2/3 – Dos 4 anos aos 12 anos (100cm a 150cm)

 

As cadeiras auto pertencem a um destes grupos mas como alguns se sobrepõem complica na hora de escolher. Vamos então tentar perceber que compra faz sentido em cada caso.

Grupo 0+

Conhecido como baby cock ou carrier são leves têm uma pega e são fáceis de transportar de casa para o carro. Podem ser acoplados a um sistema de carrinho de bebé sem perturbar o sono do seu bebé. Estas cadeiras são sempre instaladas viradas para trás.

 

O aspecto negativo é que devido à sua diminuta dimensão estes tem uma vida menor e devem ser substituídos mais rapidamente. Comprar uma destas faz sentido quando adquirida com um conjunto modular com uma base que se adapte ao próximo estágio ou mesmo quando adquirida com um conjunto de carrinho.

Grupo 0+/1

Bastante mais pesados que os anteriores, tornou-se num grupo bastante popular no últimos anos pois garante o maior tempo possível de posição virada para trás que é considerada mais segura e a maioria das cadeirinhas para bebés modernas deste grupo permite a rotação da mesma de forma a facilitar a embarcação.

 

Podem ser adquiridas assim que o carrier se torna demasiado pesado.

Devido ao seu maior peso estas cadeiras normalmente ficam instaladas no carro de forma mais permanente.

Grupo 1

Se adquiriu aquele sistema modular que falamos acima é aqui que capitaliza essa compra. Apesar de ter uma maior restrição em termos de tempo de vida, por outro lado adapta-se melhor à idade do seu bebé visto que não tem que fazer concessões para adaptabilidade.

 

Maioria das bases vai permitir a já falada e tão cómoda capacidade de rotação, este é também um produto que ficará a maioria do tempo instalado no carro. É a escolha natural para o segundo passo num sistema modular.

Grupo 1/2/3

Uma excelente solução para famílias com mais que um filho e até mais pessoas envolvidas na educação das crianças como avós e tios. É um sistema que cobre todas as idades desde que deixam o grupo 0+ e que se adequa a mudar de carro com frequência.

 

Aos 4 anos converte em cadeira para criança e acompanha a mesma até aos 12 anos. É menos adequado em cada uma das idades mas é de longe a solução mais versátil.

Grupo 2/3

Estas cadeiras não encaixam em isofix e outros como os grupos anteriores, são para crianças maiores e utilizam cintos de segurança. Actuam mais como um booster com apoio de cabeça e protecção lateral.

São opção para quando as crianças crescem mas ter em atenção que as crianças estarão mais seguras com um arnês como figuram os anteriores grupos, quanto mais tarde o deixarem melhor.

 

E assim fica a nossa breve explicação e desmistificação dos grupos de cadeiras auto para crianças. Agora vamos tratar das questões de segurança e palavras associadas.

Isofix

O que é o Isofix?

O nome ISOFIX significa International Standards Organisation Fix e pretende ser um padrão de alta segurança para Cadeiras Auto. Com o Isofix o objectivo é ter um sistema universal muito embora isso ainda não seja uma realidade é o caminho futuro.

Este é um sistema de ancoragem das cadeiras nos automóveis que em vez de utilizar o cinto de segurança, para prender o assento, utiliza um ponto de fixação instalado no próprio automóvel. Este sistema visa tanto uma maior facilidade na instalação como a redução dos erros de montagem.

 

Instalação isofix

 

Embora seja distinto em diferentes pontos do mundo o objectivo é sempre o mesmo e caminhamos para cada vez mais estar uniformizado. Na Europa todos os carros produzidos após 2014 são obrigados a integrar este sistema.

Na Europa, o Isofix é feito para os grupos 0+/1 (do nascimento aos 4 anos), enquanto o grupo 2/3 (dos 4 aos 12 anos) utiliza o sistema Isofit.

Desenvolvido por uma marca de equipamentos para crianças (Britax-Romer) em conjunto com um fabricante de automóveis (Volkswagen), com o seu lançamento a ser feito em 1997. Tem sofrido uma constante actualização e hoje em dia no nosso país é obrigatório para todos os automóveis produzidos a partir de 2014.

Como funciona o Isofix?

É importante perceber que nem todos os carros estão preparados para a cadeirinha Isofix. É necessário verificar a compatibilidade no manual de instruções do veiculo.

Um dos factores que propulsionou esta tecnologia  foram as estatísticas que demonstravam que dois terços das cadeiras auto eram instaladas de forma incorrecta. Assim sendo a premissa do Isofix é garantir que as cadeiras auto são correctamente instaladas aumentando a segurança das crianças.

O funcionamento é muito simples , os carros preparados para esta medida tem já instalados pontos de fixação na parte de baixo, a cadeira encaixa nos mesmos através de algo como uns clips. A montagem é simples e fica segura.

 

Base isofix

Existem alguns sistemas diferentes que se denominam por isofix:

• Universal – Utiliza um ponto de ancoragem superior ou um suporte inferior para além dos pontos de fixação no assento. Para utilização com a cadeira auto virada para a frente. Este sistema deve ser compatível com a maioria dos carros modernos.

• Semi Universal – à semelhança do anterior, utiliza também ponto de fixação superior ou suporte, pode ser com utilização virada para a frente ou para trás, não é compatível com todos os carros (verificar compatibilidade antes da aquisição).

• Especifico por veiculo – utiliza apenas os pontos de fixação do assento para fixar a cadeira auto. Como o nome indica é especifico de cada veiculo.

Conclusão

O Isofix garante uma instalação mais fácil, mais rápida e com garantia de maior segurança. Por outro lado não é ainda algo completamente universal e é necessário confirmar sempre as compatibilidades.

 

I-Size

I-size é o regulamento de segurança Europeu para Cadeiras Auto para criança (ECE R129). Introduzida  em Julho de 2013 visa melhorar o sistema de encaixe das cadeiras auto para criança, melhorar a segurança em termos de impactos laterais e manter as crianças mais tempo com as cadeiras viradas para trás (até aos 15 meses).

Este regulamento é apenas aplicável a cadeiras com isofix e todos os produtos com I-size deverão encaixar na maioria dos carros com isofix. Esta medida também implica escolher uma cadeira com base no comprimento da criança ao invés do peso.

 

Porquê que o i-Size é mais seguro para o meu fillho?

– Protecção extra para o pescoço e cabeça.

– Os bebés até 15 meses ficam virados para trás. Isto porque numa colisão frontal dissipa uma grande parte do impacto. Anteriormente as crianças podiam ser colocadas viradas para a frente a partir dos 9 a 12 meses de idade o que se verificou que era insuficiente.

– Tem que usar isofix que faz com que a cadeira auto para crianças encaixe devidamente no seu carro. Melhor encaixe garante menos erros e é compatível com a maioria dos carros com isofix.

– Standards de impacto lateral, reforço das protecções laterais de forma a garantir maior segurança em caso de impacto lateral.

 

Idades diferentes, ambas viradas para trás i-Size

Preciso de ter uma cadeira com i-Size?

A resposta simples é não. Neste momento não é de todo obrigatório muito embora o previsto é que venha a ser no futuro. Por enquanto se tem uma cadeira auto que esteja de acordo com a anterior legislação, não tem que fazer qualquer upgrade.

 

Sensorsafe, mais segurança!

Sensorsafe é uma nova tecnologia, desenvolvida pela marca Cybex, que pretende levar para outro nível a segurança das crianças quando viajam de carro.

 

 

Sensorsafe

Como o nome indica esta tecnologia baseia-se na colocação de vários sensores na cadeira auto de forma a fazer diferentes leituras a partir das quais vai agir. Instalado no arnês da cadeira liga directamente ao seu smartphone. Vai receber uma notificação se a criança tirar o cinto, se a temperatura estiver demasiado alta ou demasiado baixa, pode ver se a criança está sentada à demasiado tempo e mesmo se esta por alguma razão fica para trás.

Este não é um sistema fundamental de segurança mas na verdade traduz aquilo que é o dia a dia moderno gerando várias informações que ajudam os pais a tomar melhores decisões.

 

 

Azul 19-4052 – A Cor Pantone do Ano de 2020

Azul 19-4052 – A Cor Pantone do Ano de 2020

À semelhança de anos anteriores, a Pantone desvendou no último mês de Dezembro a cor do ano de 2020, Azul. A cor escolhida 19-4052 Classic Blue transmite calma, confiança, conectividade e promete estar por todo o lado!

Mas o que realmente sabes sobre a Pantone?

 

O que é?

No inicio dos anos 60, a falta de recursos e de tecnologias para contornar os erros fatais quanto à tonalidades das cores, levou à criação de um sistema de organização de cores conhecido como Pantone Matching System ou PMS (Escala de Cores Pantone). Esta nova ferramenta inovadora criada pelas mãos de Lawrence Herbert, disponibilizou 500 cores no catálogo com o objectivo de diminuir as variações erradas das cores.

Hoje em dia ainda, o Pantone, é muito utilizado por designers e outros profissionais da área.

 

O que é a Cor do Ano?

Tal como referimos a Pantone elegeu a cor para este ano mas quando e como é que a “Cor do ano” surgiu? Tudo começou em 1999 com o sucesso da cor do ano de 2000, PANTONE 15-4020 TPX Cerulean. Esta cor representava a entrada do novo milénio como um tempo de paz e tranquilidade. Desde então todos os anos é atribuída uma nova cor!

A cor do ano não é escolhida à sorte, são feitas bastantes pesquisas culturais e de tendências antes de lançar o tom!

Espreita uma das publicações da Pantone no seu Instagram Oficial com a o tom tendência de 2020

 

 

Se estás à procura de um novo sofá, um caderno ou almofadas para a nova decoração da sala, aproveita para comprar na cor de 2020! Deixamos-te aqui algumas sugestões em tons de azul:


 

Como aplicar película de vidro temperado – Dicas

Como aplicar película de vidro temperado – Dicas

Já passado o Natal e já com os novos brinquedos(smartphones) nas mãos está na altura de perceber como aplicar película de vidro temperado nos ditos.

Sabe como aplicar uma película de vidro temperado no seu smartphone?

Se tem alguma dúvida relacionada com esta pergunta, então este artigo é para si!

Passo 1:

Desligue o seu telemóvel;

Passo 2:

Utilize o kit de aplicação que vem com a sua película, o qual contém: a película, o invólucro e duas toalhitas de limpeza, das quais uma húmida e outra seca. Em certos casos o kit inclui um autocolante para retirar pó ou resíduos.

Passo 3:

Limpe com cuidado o ecrã do seu smartphone, especialmente os cantos. Primeiro utilizando a toalhita húmida de seguida com a toalhita seca para que a cola da película adira bem ao ecrã do seu telemóvel.

Atenção: Não coloque os dedos no ecrã de forma a evitar qualquer marca.

 

Passo 3.1: Caso o kit da sua película contenha o autocolante aplique para retirar pó ou resíduos restantes.

Autocolante para pó e resíduos

Passo 4: Descole a película da embalagem usando a borda de protecção destacada no canto superior, tal como indicado na imagem.

Passo 5: Ao colocar a película utilize os cantos do seu smartphone como referência, aplicando ponta a ponta com gentileza. Por fim deixar colar a película naturalmente.

Passo 6: O último passo é para retirar as bolhas de ar restantes. Algumas películas têm  um cartão próprio para pressionar o ar que fica preso entre a película e o ecrã do seu smartphone.

Caso a sua película não tenha, não desespere. Utilize um cartão de multibanco ou outro tipo de cartão de compras plástico, envolva com um guardanapo ou papel higiénico e empurre com cuidado a superfície da película até as bolhas de ar desaparecerem.

Nota: Se existiram bolhas impossíveis de retirar, é porque provavelmente não são bolhas de ar, mas sim algum detrito que ficou preso na superfície do ecrã. Nesse caso tente levantar com cuidado a película, e repita o processo a partir do ponto 3.

Por último deixamos disponibilizados um link em formato de vídeo para seguir os passos que lhe indicamos!

Obrigado por ler o nosso artigo! Esperamos que lhe tenha sido útil!

Fonte: lmobile

Star Wars: Rise of Skywalker o final anunciado

Star Wars: Rise of Skywalker o final anunciado

Star Wars: Rise of Skywalker (que estreia esta semana) marca o fim de uma saga que já se estende por mais de 4 décadas. Desde do lançamento do primeiro capitulo em 1977 que Star Wars se tornou em uma das franchises mais lucrativas de sempre tendo enorme peso e influência junto a várias gerações.

 

A Força que despertou em 1977

Quando lançado o primeiro episódio deva simplesmente pelo nome de Star Wars, uma Space Opera baseada a eterna luta do bem contra o mal. O mal assume forma no Império todo poderoso e o bem numa rebelião que tenta trazer justiça a uma galáxia oprimida.

Criado por Jorge Lucas, este universo teve um sucesso inusitado logo a partir do seu primeiro filme. Na altura do seu lançamento, Star Wars tinha efeitos especiais ímpares algo que não tinha sido feito até então, uma autêntica obra prima artística que fez com que toda a trilogia sobrevivesse com classe ao teste do tempo. Já teria o filme mais de 10 anos quando o vi pela primeira vez e era sem dúvida o mais incrível filme que havia visto em termos de efeitos especiais, quase 20 anos mais tarde com as remasterizações ainda se sentia actual, o que é dizer muito para um filme desta natureza.

Escusado dizer que foi um imenso sucesso de bilheteira e Jorge Lucas que havia detido todos os direitos do filme, visto que a 20th Century Fox não acreditava no sucesso da ideia ter abdicado do ditos, pode abrir a icónica LucasFilm

Esta primeira trilogia segue Luke Skywalker desde do seu inicio humilde numa quinta ao papel de escolhido e salvador da Galáxia. Acompanhado pelos rebeldes que tentam libertar a Galáxia do poder do império.

A primeira trilogia foi um enorme sucesso com o seu ritmos frenético, drama, humor, com efeitos especiais de outro mundo  e uma banda sonora conseguida de forma brilhante, por aquele que se tonou das maiores referências musicais de Hollywood,Jonh Wlliams, Star Wars tornou-se assim um ícone. Mesmo assim tivemos 16 anos de hiato até Gerge Lucas nos brindar com a trilogia de prequela.

 

A chegada de Anakin na viragem do milénio

Em 1999 chega finalmente um novo filme de Star Wars, um vazio tinha preenchido o coração dos fãs um pouco por todo o mundo, vazio que os levou a ver vezes sem conta os 3 filmes que entretanto foram melhorados com mais cenas e arranjos técnicos, os jovens adultos que viram Star Wars chegar aos cinemas em 1977 já tinham apresentado os seus filhos a este universo. E eis que chega Phantom Menace e este marca o inicio da aventura de Anakin antes de se tornar em Darth Vader numa história com muita inspiração biblica e com o regresso de Lucas à direcção de filmes após uma longa ausência.

 

Apesar de algumas criticas menos positivas a segunda trilogia foi um sucesso de bilheteira e merchandise, levou a franquia novos voos em termos de cenas de acção e um escopo mais abrangente.

Enquanto corria esta segunda trilogia foi lançada a aclamada série de animação The Clone Wars que seguia as Aventuras de Anakin Skywalker e Obi-Wan Kenobi durante a guerra dos clones que definiu a queda tanto dos Jedi como da República.

 

O Despertar da força

Dez anos passados da Vigança dos Sith, a força retorna na forma da terceira geração de Skywalker com um esmagador sucesso de bilheteiras o Despertar da Força é o primeiro filme de Star Wars feito sobre a alçada da Disney que havia entretanto comprado a LucasFilm e sua propriedade intelectual.

A Terceira geração de filme começou forte e faz-nos seguir Ben Solo e Rey, temos a despedida do legado de Luke e da liberdade da segunda República que começa a sucumbir sobre o peso de uma nova ameaça que toma forma como a Primeira Ordem.

Já o segundo filme perdeu algum fulgor com algumas opções a caírem debaixo de muitas criticas.

O final anunciado

A Ascensão de Skywalker marca curiosamente o final da saga desta tão importante família. O mundo sustem a respiração à espera de um final digno para 42 anos de história.

A resposta está nos cinemas a partir de 20/12/2019 e só podemos esperar que seja épico. Até lá encontra o melhor do merchandising de Star Wars aqui