Brincar:
1. Divertir-se.
2. Entreter com alguma coisa infantil.
3. Galhofar, gracejar.

Brincar é um dos 10 direitos das crianças declarados pela Organização das Nações Unidas (ONU) desde 1959: “o direito à educação gratuita e ao lazer infantil.” (1).

Enquanto brinca, a criança diverte-se, aprende novas competências e desenvolve capacidades socioemocionais, cognitivas, de linguagem e de autoconhecimento. Quando a brincadeira acontece em família, a ligação afetiva entre pais e filhos aumenta e a pequenada fica ainda mais entusiasmada e interessada nos estímulos proporcionados.

A importância de brincar para o desenvolvimento do bebé

Brincar é importante logo a partir dos primeiros meses de vida. Com um ano de idade, o bebé desenvolve os primeiros comportamentos intencionais e brincar torna-se uma atividade muito mais divertida.

Consegue, por exemplo, largar um peluche para pegar num carrinho e começa a aprender por imitação, observando o que os pais fazem (2). De facto, são muitas as vitórias conquistadas até aos 12 meses de idade*, e estas podem (devem) ser estimuladas pela brincadeira (3)(4):

  1. Senta-se com equilíbrio;
  2. Gatinha e começa a pôr-se de pé;
  3. Anda agarrado à mobília e pode começar a andar;
  4. Alimenta-se sozinho, com a mão ou com a colher, e bebe sozinho;
  5. Imita os adultos, repete sons e pode dizer palavras simples como “mamã”, “papá”, “olá”;
  6. Compreende nomes de objetos e pessoas familiares;
  7. Percebe ordens simples, como “dá”, “diz olá”, “diz adeus”;
  8. Compreende jogos de causa-efeito;
  9. Faz pinça com os dedos, apanha objetos mais pequenos;
  10. Começa a largar e a ver onde caem os brinquedos com a intenção de descobrir como funcionam as coisas;
  11. Bate palmas com ritmo, experimenta sons e interage com brinquedos musicais;
  12. Percebe que os objetos que não estão à sua frente não desaparecem e, por isso, procura-os;
  13. Começa a ter um brinquedo preferido, que o acalma quando fica mais agitado.

O que ter em conta na escolha dos brinquedos

Durante esta fase de descoberta, os brinquedos vão desempenhar um papel muito importante. Há brinquedos que ajudam a desenvolver a motricidade fina e grossa e a perceção sensorial, outros que promovem a maturidade emocional.

Há ainda os que estimulam a linguagem e a comunicação, e aqueles que ajudam a desenvolver o raciocínio lógico e a capacidade de resolução de problemas. Mas para além do propósito lúdico-didático do brinquedo, é necessário ter em conta os seguintes critérios de compra:

Materiais de fabrico

Os brinquedos devem ser fabricados com materiais e tintas não tóxicos, nem inflamáveis. O ideal é que sejam de madeira ou de plástico durável, fácil de limpar e livre de bisfenol A (BPA).

Design, acabamento e tamanho

É preferível optar por brinquedos grandes, arredondados, fáceis de agarrar, suaves ao toque, sem superfícies porosas e que não contenham peças pequenas.

Idade recomendada

Ainda que cada criança seja diferente e tenha o seu próprio ritmo de desenvolvimento, existem escalas gerais, conhecidas como indicadores de desenvolvimento que dão conta das habilidades que os mais pequenos devem demonstrar em cada etapa da infância.

Os principais fabricantes de brinquedos têm essas escalas de desenvolvimento infantil em conta e, a partir delas, estabelecem as idades de uso recomendadas para os diferentes artigos que oferecem. Nos caso de bebés até um ano, é importante escolher brinquedos específicos para cada fase, por exemplo, 6-9 meses, 9-12 meses e 12-18 meses.

8 sugestões de brinquedos para bebés até aos 12 meses

Para simplificar a tarefa de encontrar os melhores brinquedos para crianças, nomeadamente, bebés até 1 ano de idade, segue-se uma lista de 8 sugestões. São brinquedos divertidos, que proporcionam estímulos seguros e que os mais pequenos vão adorar, sobretudo se os pais participarem nas brincadeiras e ensinarem a interagir com o brinquedo novo.

1. Brinquedos musicais

O sentido da audição é um dos primeiros a desenvolver-se. O bebé começa a interagir com os sons e estímulos externos a partir das 22-26 semanas da gravidez (5).

Faz, por isso, todo o sentido introduzir o bebé ao universo da música durante os primeiros meses de vida, com canções de embalar, caixas de música, sons tranquilizantes, mesas de atividades com sons, etc.

A partir do momento em que a criança consegue agarrar objetos, um instrumento, mesmo que de brinquedo, pode ser um presente memorável, que vai suscitar curiosidade e encanto. Tambores, pandeiretas, chocalhos, xilofones, teclados, não faltam opções.

2. Livros

Interativos, sonoros, com texturas e com histórias leves e rápidas para os pais lerem ao adormecer, por exemplo, são dos brinquedos para bebés até um ano mais aconselhados para esta fase. O primeiro ano é o momento ideal para começar a introduzir pequenos livros.

É aconselhado optar por livros musicais de plástico, de pano ou reforçados, para evitar que se estraguem. É também importante que os livros tenham muitos desenhos, cores, contrastes, texturas e até sons para prender a atenção do bebé e incentivar a interação.

3. Jogos de encaixar formas

Os jogos de encaixe são do tipo de brinquedos para bebés até um ano que ajuda o bebé a desenvolver as noções de problema-solução e de causa-efeito.

É normal que demore um pouco a aprender a encaixar um objeto 3D nos buracos corretos, mas, enquanto não é bem sucedido, o bebé estará a explorar conceitos importantes como cheio e vazio, dentro e fora, pegar e soltar.

4. Blocos para empilhar e montar

As crianças adoram montar, derrubar, alinhar e separar com blocos. E estas ações são cruciais para que comecem a perceber o que é o peso, a simetria, a estabilidade, o equilíbrio e a organização. Quando os blocos são coloridos, os pais podem também começar a trabalhar as cores, separando os blocos pela respetiva cor.

Além disso, estes brinquedos estimulam a criatividade e ajudam a desenvolver a motricidade fina, pois contribuem para fortalecer os dedos e as mãos dos mais pequenos.

5. Brinquedos com rodas

Quanto mais autónomo for o bebé nas suas deslocações, mais vai gostar de brincar com carrinhos e brinquedos com rodas, que se mexem quando ele empurra ou puxa. E sempre que encontra um obstáculo pelo caminho, a criança vai ter de encontrar uma alternativa, o que é um excelente exercício para estimular a autonomia e o raciocínio lógico.

6. Bolas

Bolas de diferentes tamanhos, pesos, cores e texturas, que estimulem o sentido do tato e a coordenação motora. O rolar da bola vai obrigar o bebé a persegui-la, seja a gatinhar ou a andar. Quando conseguir pegar, soltar, atirar e chutar, vai, muito provavelmente, ficar horas entretido a brincar!

Ao mesmo tempo, jogar à bola é uma atividade excelente para interagir com outras crianças e para reforçar a relação afetiva com os pais e/ou irmãos.

7. Tintas para pinturas a dedo

Tintas especialmente indicadas para utilizar com as mãos, dermatologicamente testadas e fáceis de lavar da pele e dos tecidos são ótimas para brincar!

Pintar com os dedos é divertido, estimula a criatividade e desenvolve a sensibilidade tátil e a motricidade fina das mãos e dos dedos.

8. Brinquedos para a motricidade global

A motricidade global está relacionada com o controlo do corpo no seu todo: a postura, o equilíbrio estático e dinâmico, os movimentos dos membros maiores (6).

Túneis que obriguem o bebé a rastejar e a gatinhar, tapetes de atividades, brinquedos que estimulem a dança e o movimento dos músculos maiores, entre outros, vão ajudar o bebé a desenvolver controlo corporal e autoconhecimento.

Resumo

Acima de tudo, é importante deixar o mundo da imaginação entrar em casa e desfrute de cada conquista adquirida pelo seu bebé enquanto brinca. Os vínculos e as memórias que se criam no meio do faz-de-conta e da diversão são o mais importante.

*Cada criança é única e tem o seu próprio ritmo de desenvolvimento. As conquistas mencionadas no artigo são apenas uma generalização.

Fontes
(1) https://www.aldeias-sos.org/quem-somos/fazemos/porque-o-fazemos/direitos-criancas
(2) https://www.dodot.pt/bebe/atividades/artigo/actividades-para-o-desenvolvimento-psicomotor-de-bebes-dos-9-aos-12-meses
(3) https://usf-saudenofuturo.min-saude.pt/educacao_saude/saude_infantil_juvenil/Documents/Desenvolvimento%20Infantil%200-12%20meses.pdf
(4) https://www.cuf.pt/mais-saude/desenvolvimento-do-bebe-no-1o-ano-de-vida
(5) https://www.maemequer.pt/estou-gravida/como-cresce-o-bebe/dentro-do-ventre/bebe-comeca-a-ouvir/
(6) https://www.maemequer.pt/desenvolvimento-infantil/crescer/despertar-para-o-mundo/motricidade-grossa-e-motricidade-fina/

Diana Sousa
Autor

Esposendense de coração, a Diana é doida por boa comida e anda constantemente perdida nos motores de busca de voos, em pulgas com a próxima aventura. Acalma os bichos carpinteiros com treinos diários de cross training e rende-se facilmente perante um bom storytelling.

Comentários